O golpismo pariu o Bebê de Rosemary

0
0
0
s2sdefault

 

Atenção parlamentares ainda indecisos quanto ao impeachment de Dilma. Reparem na ironia das pesquisas exatamente na semana que se afunila o golpe. Os golpistas despencam nas pesquisas de intenções de voto e Lula aparece em primeiro. Será que esse recado lhes diz algo em relação ao futuro político?

 

Temer está no mesmo nível de impeachment de Dilma e, se fosse candidato, teria 1% dos votos. Cunha tem a rejeição de 77% dos brasileiros. Moro tem o mesmo nível de Bolsonaro. Os candidatos do PSDB despencam nas pesquisas eleitorais, quando deveriam estar em primeiro lugar, não é mesmo?

 

Segundo os desejos do conluio mídia-Moro-empresários-parlamentares golpistas, sim. Mas, segundo a multidão dos eleitores, não.

 

Essa articulação inflamou o ódio de classes no país, pelo viés da direita. Seja qual for o resultado, após o fim desse processo, a divisão estará cravada em nossa alma, não como cicatriz, mas como carne viva.

 

Se Dilma for saída, na linha sucessória teríamos em primeiro Temer, depois Eduardo Cunha, finalmente Renan Calheiros. Cunha será o vice-presidente do Brasil. Tá de bom tamanho o que se quer para o país?

 

A verdade é que a oposição de direita – mídia, Moro, empresários, parlamentares etc. – pariu um monstro com olhos de cabra, como se fosse o Bebê de Rosemary.

 

Esse filho do diabo está devorando os próprios golpistas.

 

Leia também:

 

“Na política brasileira, está em jogo, acima de tudo, repactuação do poder e estancamento da Lava Jato”

 

Brasil fragmentado na expectativa do dia seguinte

 

“O pântano no volume morto: degradação institucional brasileira atinge ponto mais agudo" – entrevista com o sociólogo do trabalho Ricardo Antunes

 

Sobre a vontade generalizada de ser massa de manobra

 

O buraco negro da conjuntura política nacional

 

A classe trabalhadora volta do paraíso

 

‘Governo arruinou a Petrobras; Brasil já perdeu janela aberta pelo Pré-Sal pra se alavancar’ – entrevista com o cientista político Pergentino Mendes de Almeida

 

O que pretendem os setores dominantes com o impeachment de Dilma: notas preliminares

 

“Lula é o grande responsável pela crise" – entrevista com o economista Reinaldo Gonçalves

 

Fábio Konder Comparato: “A Operação Lava Jato perdeu o rumo”

 

Sobre crises, golpes e a disputa do Planalto

 

Hipóteses outonais

 

Lula na Casa Civil: o que muda para a esquerda?

 

Referendo revogatório: que o povo decida

 

Não é por Dilma e Lula

 

‘Sistema político derrete em meio a dois clãs em disputa pelo aparelho de Estado’ – entrevista com o cientista político José Correia Leite

 

"Lula e o PT há muito se esgotaram como via legítima de um projeto popular" – entrevista com a socióloga Maria Orlanda Pinassi

 

Precisamos construir outro projeto de país, longe dos governistas

 

“A Operação Lava Jato ainda não deixou claro se tem intenções republicanas ou políticas” – entrevista com o filósofo e pesquisador Pablo Ortellado

 

“O Brasil está ensandecido e corre risco de entrar numa aventura de briga de rua” - entrevista com o cientista político Rudá Ricci.

 

 

Roberto Malvezzi (Gogó) possui formação em Filosofia, Teologia e Estudos Sociais. Atua na Equipe CPP/CPT do São Francisco.

 

 

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados