topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

Edição 1005 – 04/04/2016 a 10/04/2016
Arquivos do Correio
Sexta, 08 de Abril de 2016
Recomendar

 

 

 

“Na política brasileira, está em jogo, acima de tudo, repactuação do poder e estancamento da Lava Jato”

Por Gabriel Brito, da Redação

 

alt

 

A cada dia, a crise geral que abala o Brasil produz novos capítulos. A exemplo da delação da Andrade Gutierrez a respeito de possível propina na construção de Belo Monte, que deverá jogar mais água no moinho da cassação da chapa Dilma-Temer em 2014. Enquanto o desfecho ainda não se delineia, o Correio da Cidadania conversou com o deputado federal Chico Alencar (PSOL-RJ), um dos membros da Comissão de Impeachment.  “Acima de tudo, a crise é do modelo político e econômico brasileiro e, nesse momento conjuntural, se traduz em mera luta pelo poder”.

 


 

POLÍTICA

 

Michel, o Usurpador

Por Mário Maestri

 

Parece-me que o título mais condizente será o de “usurpador”. Ou seja, aquele que se apodera de um título, cargo ou função que não é seu, pelo engano ou pela força, seja qual seja. Porém, fica uma questão. “Michel, o Usurpador” não é demasiadamente pomposo para o tamanho do homem?

 


 

Brasil, cuidado com a intolerância!

Por Bernardo Pilotto

 

Estamos vivendo um momento que estes segmentos intolerantes, que sempre existiram, mas estavam “de pijama” desde o fim da ditadura civil-militar de 1964, se sentem à vontade para atuar por fora da lei, com apoio de muitos parlamentares e governantes, que acabam por jogar mais lenha na fogueira.

 


 

Pautas que movem: secundaristas do Rio de Janeiro na fronteira das lutas

Por Marcelo Castañeda

 

Os profissionais de educação se encontram em greve há um mês, mas quero chamar atenção neste artigo para as ocupações promovidas pelos estudantes secundaristas a partir de mobilizações que eles vêm empreendendo desde o início do ano letivo em todo estado do Rio de Janeiro.

 


 

A história se repetindo

Por Claudionor Mendonça dos Santos

 

Contraditório, ampla defesa, tratamento paritário dos partícipes do processo, são princípios que deverão nortear os verdadeiros magistrados. Trata-se de órgão que sempre deverá agir sob o manto da mais absoluta imparcialidade, afastado dos interesses de quaisquer das partes. Essa é a verdadeira e autêntica magistratura. A abstenção política é dever ético de qualquer magistrado que também deverá demonstrar ser pessoa equilibrada e sensata.

 


 

PMDB: hay gobierno, soy a favor!

Por Frei Betto

 

Se muitos sucumbem às tentações do poder, do dinheiro e do sexo, a ala fisiologista do PMDB, se vivesse no Paraíso, não teria caído no conto da maçã, e sim tentado convencer Javé de que o mundo seria melhor tendo-a como braço direito.

 


 

A burguesia decide por Dilma

Por Nildo Ouriques

 

A burguesia decidiu que Dilma fica. Não é decisão nova. É decisão antiga que se fortaleceu no último período diante da situação política e econômica no país.

 


 

O Facebook proibido de Letícia Sabatella

Por Roberto Malvezzi (Gogó)

 

A consciência que ela tem da realidade está à frente de 90% da população brasileira, inclusive de intelectuais e democratas de conveniência. Por isso sua voz e suas atitudes incomodam e ela tem que suportar agressões.

 


 

Brasil fragmentado na expectativa do dia seguinte

Por Hamílton Octávio de Souza

 

A saída de conciliação não interessa nem para o capital nem para os trabalhadores, nem para a direita nem para a esquerda, nem para os governistas nem para as oposições. Mas, na atual conjuntura de polarização e de grande confusão ideológica, a imposição de qualquer facção não será suficiente se não somar grupos e correntes com razoável articulação. Mesmo porque a fragmentação atual não está definida pela luta de classes clássica, entre trabalho versus capital. Também não é uma luta entre projetos distintos para a sociedade.

 


 

Hipóteses outonais

Por Wladimir Pomar

 

Algo significativo ocorreu após as manifestações de 18 de março. Acabou a farsa dos órgãos do Partido da Mídia de noticiar ampla e com falsa neutralidade as manifestações de rua. O silêncio a respeito das manifestações contra o golpe foi ruidoso. Acabou também a farsa dos noticiários televisivos darem 30 segundos para os adversários do golpe e 10 minutos para os favoráveis ao golpe. Agora não há sequer um segundo para os que defendem a ordem democrática.

 


 

SOCIAL

 

Desigualdade e educação

Por Otaviano Helene

 

É interessante observar que uma pequena transferência de renda dos segmentos mais ricos para os mais pobres poderia colocar o Brasil em um patamar bem diferente do atual. Por exemplo, caso o grupo formado pelos 20% mais ricos tivesse sua participação na renda nacional reduzida em cerca de 25% e esta fosse transferida para os grupos formados pelos mais pobres, o Brasil sairia da posição de uma das piores concentrações de renda para uma posição próxima daquela dos países mais igualitários.

 


 

Campanha da Fraternidade 2016 e sustentabilidade (3)

Por Frei Marcos Sassatelli

 

Esse sistema é o “estado de mal-estar social” ou a causa última de todos os males sociais e ambientais. Em linguagem teológico-moral, é hoje a concretização histórica do pecado social e ambiental ou pecado estrutural. Não podemos esquecer essa realidade.

 


 

A voz da democracia

Por Osvaldo Russo

 

As manifestações dos dias 18 e 31 de março deram um claro e duro recado à oposição antidemocrática de que não haverá golpe parlamentar sem resistência popular.

 


 

ECONOMIA

 

Condições necessárias para superação da crise econômica

Por Guilherme C. Delgado

 

Conjecturo, para efeitos analíticos, com a tese do não impedimento de Dilma e vejo no dia seguinte a necessidade de organização de um governo de “salvação pública” com vistas a estancar e reverter, nos planos econômico e social, as tendências perversas ao prolongamento indefinido da recessão e à ruptura da coesão social interna, parte reflexo da crise econômica, parte produto dos fortes antagonismos ideológicos fermentados desde 2013.

 


 

INTERNACIONAL

 

Na devastação do Iêmen as principais vítimas são as crianças

Por Luiz Eça

 

Embora toda a população sofra os efeitos dos impiedosos bombardeios, as crianças iemenitas são as principais vítimas. Relatório de pesquisa da UNESCO, publicado no aniversário do início da campanha liderada pelos sauditas, revela que um terço dos mais de três mil civis mortos no Iêmen eram crianças. “A escala de sofrimento é espantosa”, diz o relatório.

 


 

Procurem nos bancos os responsáveis por Bruxelas

Por José Arbex Jr.

 

A “explicação” não está na religião, nem no fluxo de refugiados, nem na suposta incompetência dos serviços de espionagem e nem numa mistura disso tudo. Está na brutal e insustentável desigualdade que cresce no planeta de forma vertiginosa e eleva a uma escala inédita os níveis de fome e miséria em que vive a imensa maioria da população mundial.

 


 

Rússia: recuperação de prestígio na Síria

Por Virgílio Arraes

 

Se os norte-americanos não haviam obtido sucesso no Afeganistão e Iraque, após anos de esforço, com custos materiais significativos, por que motivo teriam os russos na confrontação civil na qual o lado com o qual mantinham duradoura parceria encolhia a olhos vistos?

 


 

O alicate político e ecológico das mudanças climáticas oprime os povos indígenas

Por Eduardo Gudynas

 

As condições políticas cada vez mais duras, com a volta da repressão em alguns países ou a intromissão governamental para dividir as organizações indígenas, são os dois braços de um enorme alicate, ecológico e político, que exerce pressão sobre os povos indígenas.

 


 

RESENHA

 

Por que os movimentos sociais precisam da imaginação radical

Por Alex Khasnabish e Max Haiven

 

A Imaginação Radical: Investigação sobre Movimentos Sociais na Era da Austeridade

 


 

 

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates