Democracia à deriva

0
0
0
s2sdefault

 

A cena imaginária se aproxima da realidade. Um navio à deriva, sem rumo nem comando. O pressentimento seria de desastre inevitável.

 

Que o sistema político brasileiro está fazendo água, isto é evidente. Mas agora ele se aproxima da falência, com prejuízos incalculáveis, sobretudo para os mais desprotegidos da sociedade.

 

Está mais do que na hora de colocar na agenda política, não questiúnculas pessoais, mas os verdadeiros problemas que precisam ser enfrentados com urgência.

 

Por isto, quanto antes, se decidam as questões regimentais e se enfrentem as grandes pendências nacionais. A Reforma Política precisa ser retomada e aprofundada.

 

De uma vez por todas, fique estabelecido que partidos e candidatos não podem receber financiamento de empresas. Pois ficou mais do que evidente que daí nascem as iniciativas de corrupção, com a finalidade de canalizar recursos financeiros, para sustentar campanhas eleitorais completamente inadequadas à realidade política do Brasil.

 

Há tanto tempo que já se escancarou a evidência de que o nosso sistema previdenciário caminha para o impasse e a falência. Quanto tempo ainda vai demorar para que se tomem em tempo as providências para evitar o fracasso da Previdência?

 

O sistema educacional, que deu passos importantes e significativos, precisa ser abraçado por todos com dedicação e competência. A triste realidade da multidão de jovens sem perspectivas e sem motivações nos faz perguntar pela responsabilidade que recai sobre cada um dos cidadãos, numa questão tão decisiva como a educação.

 

Outra realidade que precisa ser assumida com mais dedicação e mais recursos é a saúde pública.

 

Isto para dizer que haveria tantas questões importantes, nas quais gostaríamos de ver o governo empenhado, o parlamento interessado e o judiciário atento.

 

Pois já estamos fartos do triste espetáculo que é proporcionado cada dia por parlamentares que perderam o escrúpulo e a vergonha na cara, por estarem só procurando seu interesse pessoal, enquanto ficam à deriva, isto sim, tantas outras causas importantes que precisariam de muito mais atenção e compromisso.

 

D. Demetrio Valentini é bispo da diocese de Jales-SP.

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados