topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Esquerda e direita Imprimir E-mail
Escrito por Grupo de São Paulo – Boletim Rede   
Qui, 07 de Janeiro de 2016
Recomendar

 

 

A polaridade entre esquerda e direita já não acontece mais como nos tempos da Guerra Fria, quando as correntes eram alinhadas automaticamente aos blocos soviético ou estadunidense, tão pouco como nos primórdios da Revolução Cubana, quando a esquerda era associada aos ideais de justiça e igualdade e a direita, na América Latina, a regimes autoritários que usavam métodos cruéis e desumanos para aniquilar seus adversários.

 

O contexto político internacional, hoje, é outro: as fronteiras nos países africanos, no Oriente Médio e na Europa foram redefinidas, aumenta no mundo, a cada dia, a presença do fundamentalismo islâmico com suas implicações, a economia chinesa cresceu significativamente, formaram-se novos blocos econômicos, o alcance das organizações transnacionais aumentou.

 

Não só os atores em cena assumiram novos papéis como, também, mudou o cenário: cada vez mais se tenta fazer reconhecer a diversidade cultural, a democracia, a liberdade no que diz respeito a todos os aspectos da vida, passando pelo respeito à orientação sexual de cada um, às crenças religiosas, pela expressão do pensamento e pela organização política e social. Não se pode perder de vista a dimensão desses valores, paulatinamente afirmados e reafirmados, particularmente em um momento em que estão cada vez mais presentes no mundo a xenofobia e o obscurantismo.

 

É neste contexto que devem ser entendidos, hoje, os conceitos direita e esquerda, e considerando o valor das liberdades alcançadas até agora. O "guarda chuva" de cada um dos conceitos abriga grande diversidade de posturas em relação à vida e à sociedade - posturas que vão desde as que defendem a coexistência de todas as diferentes manifestações de homens e mulheres na sociedade até as autoritárias, que querem aniquilar tudo que difere de seu pensamento.

 

O que difere os conceitos de direita e esquerda é o papel que cada um dá ao Estado, e a destinação que ele dá aos seus recursos – que são públicos. A direita é aquela que defende as liberdades econômicas como valor máximo do qual derivam todas as outras liberdades; ela defende o Estado mínimo. Os liberais, por exemplo, dizem que a livre concorrência é boa para todos: sem a interferência do Estado, a tendência é que o mercado encontre um equilíbrio natural, com a máxima produtividade, preço justo e melhor qualidade, como se uma "mão invisível" acomodasse a economia e os problemas da sociedade.

 

A esquerda não acredita nisto: quer regulação das atividades econômicas, para garantir a todos o respeito aos direitos humanos, quer sistemas de saúde, educação e transporte urbano públicos, mantidos pelo Estado, e acha que a liberdade econômica deve ser restringida em nome de outros objetivos como a redução da pobreza.

 

E quando se fala em Estado, aqui, não se está tratando de um Estado "inchado": o Estado Moderno é aquele onde existe uma burocracia profissional completa, que é quem possibilita continuidade do seu bom funcionamento e de políticas públicas de interesse da população.

 

O conceito clássico de direita e esquerda originou-se na Europa, mas os sentidos de direita e esquerda são diferentes na Europa e na América Latina, porque são produto de uma história diferente. Por exemplo: a esquerda, na Europa, dá grande valor à liberdade política, pela sua proximidade da experiência da União Soviética; na América Latina, é autoritária, no sentido de que não acredita no valor da pluralidade política.

 

Direita e esquerda têm contribuições a dar à vida em sociedade. Os conceitos de que as condições concretas de existência säo determinantes do futuro de um ser humano, postulado da esquerda, e de que o indivíduo é o responsável pelo que acontece a ele, baluarte da direita, podem ser balizados um pelo outro, com benefício para todos.

 

A realidade apresenta exemplos que "provam" as duas teses. Absolutizar a primeira pode levar ao "conforto" de dissolver no coletivo a responsabilidade por tudo o que acontece; fazer o mesmo com a segunda transforma todos em "super-homens" acima de quaisquer obstáculos.

 

Perceber o que pensa diferente como adversário só leva ao acirramento da animosidade de uns contra outros. Numa democracia há pluralidade política assim como, nela, o governo sabe que é bom que exista oposição: sua crítica permite a ele ver problemas que de outra forma não veria e, assim, ficar melhor.

 

Mais importante que colocar governos e agremiações em "gavetas" - direita e esquerda - é compreender sua conduta ou proposta em relação ao papel do Estado - e ver se está de acordo com a sua concepção de Estado.

 

Andrea Paes Alberico, Elisa Helena Rocha de Carvalho, Guga Dorea, José Juliano de Carvalho Filho, Silvio Mieli e Thomaz Ferreira Jensen são membros do Grupo de São Paulo - um grupo de pessoas que se revezam na redação e revisão coletiva dos artigos de análise de Contexto Internacional de boletim editado pelo Centro Alceu Amoroso Lima para a Liberdade, de Petrópolis, RJ.

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates