topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Papa condena o “novo colonialismo” Imprimir E-mail
Escrito por Frei Betto   
Terça, 21 de Julho de 2015
Recomendar

 

Na semana passada, o papa Francisco visitou Equador, Bolívia e Paraguai. Em seu estilo profético, deixou clara a opção pelos mais pobres.

 

Na periferia de Assunção, esteve com as 23 mil famílias que ocupam a área de Bañado Norte e, há 30 anos, lutam pelo título de propriedade. Francisco se declarou feliz por estar “em sua terra”, em explícito apoio à reivindicação dos ocupantes.

 

Na Bolívia, pediu perdão aos povos indígenas pela cumplicidade da Igreja Católica com o genocídio provocado pela colonização europeia: “muitos pecados foram cometidos contra os povos latinos em nome de Deus”.

 

Em crítica ao pietismo vazio, o papa enfatizou que “não importa a quantas missas de domingo você foi, se você não tem um coração solidário. Se você não sabe o que está acontecendo em sua cidade, sua fé é muito fraca, está doente ou morta”. Fez eco à Carta de Tiago, no Novo Testamento, que frisa ser inócua a fé sem obras solidárias (2, 14-17).

 

As injustiças causadas pelo capitalismo global foram o tema recorrente de Francisco na viagem aos três países. “Em um mundo onde há tantos agricultores sem terra, tantas famílias sem casa, tantos trabalhadores sem direitos”, onde explodem “guerras insensatas” e a terra é devastada, isso significa que “as coisas não estão indo bem” e é preciso “uma mudança”.

 

Ressaltou que opressão, exclusão e degradação ambiental “respondem a um sistema que se tornou global”, e “impôs a lógica do lucro a todo custo”. Por trás de “tanta morte e destruição, sente-se o fedor daquilo que Basílio de Cesareia chamava de ‘esterco do diabo’”.

 

Em Santa Cruz de la Sierra, recebeu mais de 1.500 representantes de movimentos populares. Saudou-os como “semeadores de mudanças” e “poetas sociais”. Declarou que a Igreja está disposta a “acompanhar aqueles que buscam superar as graves situações de injustiça que sofrem os excluídos em todo o mundo”. E valorizou o protagonismo dos movimentos sociais: “Atrevo-me a lhes dizer que o futuro da humanidade está, em grande parte, em suas mãos, na sua capacidade de se organizar e promover alternativas criativas”.

 

Para o papa, a economia “não deveria ser um mecanismo de acumulação, mas a adequada administração da casa comum”. E frisou: “quando o capital se converte em ídolo e dirige as opções dos seres humanos; quando a avidez pelo dinheiro tutela todo o sistema socioeconômico, isso arruína a sociedade, condena o homem, converte-o em escravo, destrói a fraternidade intra-humana, joga povo contra povo e, como vemos, põe em risco até essa nossa casa comum”.

 

Francisco observou que, para uma vida digna, é necessário garantir os três T – teto, trabalho e terra. E em referência aplicável à Grécia e ao Brasil, qualificou de “novo colonialismo alguns tratados denominados de ‘livre comércio’ e a imposição de medidas de ‘austeridade’ que sempre apertam o cinto dos trabalhadores e dos pobres”.

 

 

Frei Betto é escritor, autor de “Paraíso Perdido – viagens pelo mundo socialista” (Rocco), entre outros livros.

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates