topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Financiamento eleitoral por empresas: condição suficiente para não haver democracia Imprimir E-mail
Escrito por Otaviano Helene   
Quarta, 08 de Julho de 2015
Recomendar

 

 

Embora ainda haja destaques a serem votados, a Câmara dos Deputados deu mais um passo a favor da legalização do financiamento político e eleitoral por empresas. Note, por empresas: essas despesas, como todas as demais despesas de uma empresa, irão para as planilhas de custo e quem as pagará somos nós, na compra de remédios ou de livros, nas taxas de serviços bancários, na alimentação, na compra de imóveis e em tudo o mais.

 

Mas quem escolherá os financiados, em especial os beneficiários dos grandes financiamentos e, portanto, aqueles com maiores chances de serem eleitos, serão as altas direções, os grandes acionistas e os donos das empresas. À população caberá apenas pagar a conta e votar nos candidatos por eles escolhidos, convencidos pelas massacrantes propagandas a afirmarem que estarão votando corretamente.

 

Ainda que possa haver disfarces moralistas que limitam as doações a apenas 2% do faturamento anual (valor que, na totalidade das empresas do país, pode significar algumas dezenas de milhões de reais) ou a apenas 20 milhões de reais por empresa (valor proposto, mas ainda a ser definido pela Câmara), o poder eleitoral das empresas é mais do que suficiente para conseguir uma Câmara dos Deputados, um Senado, Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais tão afinadas com seus interesses o quanto quiserem.

 

Apenas para comparação: segundo o jornal O Estado de S. Paulo, de 14/9/2014, o custo total das campanhas eleitorais que deram origem ao atual Congresso atingiu cerca de um bilhão de reais, uma bagatela quando comparada com aquelas dezenas de bilhões de reais impostas pelo limite de financiamento proposto.

 

Em resumo, graças ao poder da propaganda, as empresas podem ter, como já têm, quantos legisladores precisarem. E se não têm mais, não é porque não podem, mas porque não precisam.

 

Em resumo, aprovado o financiamento eleitoral decidido pelas altas direções das empresas, está dada a condição necessária e suficiente para que não haja democracia no Brasil. Nosso voto, nossa militância e nossa capacidade de convencer algumas poucas pessoas, de nada valerão. Se quisermos construir as condições mínimas para a democracia, é fundamental lutarmos contra isso.

 

Leia também:

Financiamento eleitoral: a Câmara quer fazer uma piada virar lei?

“O mais provável é o governo Dilma se arrastando nos próximos três anos e meio” – entrevista com o deputado federal Chico Alencar

Financiamento empresarial: mola mestra da corrupção sistêmica – coluna do sociólogo Leo Lince

 

 

Otaviano Helene é professor no Instituto de Física da USP, ex-presidente da Adusp e do Inep, autor do livro “Um diagnóstico da Educação Brasileira e de seu financiamento”: mantém o blog www.blogolitica.blogspot.com

Recomendar
Última atualização em Quarta, 15 de Julho de 2015
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates