topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Aug   September 2016   Oct
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
252627282930 
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Do ganha-perde ao ganho-ganha Imprimir E-mail
Escrito por Marcio Pochmann   
Sexta, 13 de Março de 2015
Recomendar

alt

 

Sinais de polarização política crescem de dimensão no quotidiano da sociedade brasileira. Estranho notar, contudo, elementos consistentes de justificativa da polarização se o foco for o comportamento de variáveis sínteses sobre a evolução da situação socioeconômica do conjunto da população.

 

Desde o estabelecimento da estabilidade monetária, alcançada com o Plano Real no governo de Itamar Franco, em 1994, que o Brasil registra dois períodos distintos, em termos de polarização e acomodação no interior da sociedade.

 

O primeiro período pode ser definido como ganha-perde, conferido entre os anos de 1995 e 2003, uma vez que poucos segmentos sociais melhoravam, enquanto a maior parte perdia. No Gráfico 1, por exemplo, constata-se que a estabilidade no poder aquisitivo dos rendimentos ocorreu somente entre 1995 e 1997, para depois seguir decrescente até 2003, ao passo que o desemprego nacional aumentou continuamente até o ano de 1999, para depois estabilizar até 2003.

alt

 

O segundo período denominado de ganho-ganha ocorrido a partir de 2004, registrou melhora simultânea em praticamente todos os segmentos sociais. O sentido geral do decréscimo no desemprego nacional e da elevação do poder aquisitivo no rendimento médio dos ocupados confirma a melhora generalizada das condições de vida do conjunto da população.

 

Em virtude disso, a polarização socioeconômica mais acentuada seria produto do final do século 20, enquanto a acomodação no interior da sociedade seria possibilitada no início do século 21. Ao se considerar o Gráfico 2, observa-se que a percepção do período do ganha-perde parece inegável entre 1995 e 2003, sobretudo quando separa-se o conjunto da sociedade em três segmentos distintos (ricos, intermediários e pobres) segundo o nível de renda.

 

No período do ganha-perde, somente os 50% da população mais pobre conseguiram ter o rendimento mantido acima da inflação, com elevação média anual de 0,2%. Nos mesmos anos de 1995-2002, o segmento de rendimento intermediário dos brasileiros (do sexto a oitavo décil da escala da distribuição pessoal da renda) registrou perdas médias anuais de 0,4%, enquanto os 20% mais ricos acusaram queda mais acentuada (1,2%) na renda.

 

alt

 

Na fase atual do ganho-ganha, pelo menos até o ano de 2013, segundo informações oficiais do IBGE, todos os segmentos sociais elevaram significativamente o nível de rendimento. Os 50% mais pobres da população aumentaram a cada ano, em média, 5,8% o poder aquisitivo do rendimento, ao passo que o segmento social intermediário cresceu a renda média em 5,2% ao ano e os ricos subiram 4,1% como media anual entre 2003-2013.

 

Neste sentido que o período recente do ganho-ganha evidencia a acomodação socioeconômica, não a polarização, uma vez que ninguém ficou para trás. Talvez, a simbologia do trânsito em que todos estariam em movimento na via, parece indicar certo desconforto político, uma vez que o pessoal do transporte coletivo estaria andando mais rapidamente, enquanto aqueles do transporte particular e individual e até de luxo mover-se-iam com velocidade menos intensa.

 

Seria isso um bom motivo para justificar sinais de polarização política?

 

 

Marcio Pochmann, economista, é professor da UNICAMP.

Originalmente publicado no site Carta Maior - http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Economia/Do-ganha-perde-ao-ganho-ganha/7/33046

 

 

Recomendar
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates