topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Respeitar a Constituição Imprimir E-mail
Escrito por Dom Demétrio Valentini   
Sexta, 13 de Março de 2015
Recomendar

 

 

O Brasil está no limite da governabilidade. A inconformidade com o resultado eleitoral, as denúncias de corrupção, as medidas governamentais contrárias a interesses  localizados, a frustração diante de expectativas não realizadas,  são fatores que levam ao clima de descontentamento, que se traduz em inquietações generalizadas, com risco de graves equívocos, que colocam em risco a normalidade democrática  e a estabilidade constitucional.

 

Diante disto se faz necessária uma redobrada atenção, para não agravarmos a situação com atitudes precipitadas, inviabilizando as soluções mais adequadas.

 

Neste contexto, emerge com evidência um critério a ser seguido com absoluta prioridade: o respeito à ordem constitucional. Pois só a garantia constitucional pode assegurar a validade do procedimento democrático que permite avançar soluções viáveis e consensuadas.

 

Em consequência, devem ser esconjuradas todas as tentativas de quebra constitucional. O zelo pela democracia nos impele a rejeitar com firmeza toda tentativa de golpe.

 

Portanto, fora o golpe, e fora todas as manobras que induzem a ele!

 

Pois, na verdade, o clima de tensão e de anseio pela superação da crise podem nos levar a  apoiar posições que escondem a intenção de provocar a instabilidade, e assim encontrar respaldo para medidas de exceção, com legalidade aparente e forjada.

 

Assim como no futebol a pior jogada é fazer gol contra, nas manifestações, o risco é colocar-nos do lado errado, apoiando procedimentos que levam para decisões equivocadas e induzidas por sofismas políticos.

 

É preciso estar atentos, para não sermos instrumentalizados, como já aconteceu em nossa história, com manifestações que encobriam o claro propósito do golpe,  que depois acabou se efetivando, com pesadas consequências que deixaram marcas negativas em nossa história.

 

Que nestes dias ninguém se deixe fazer a cabeça por quem quer utilizar nossos protestos para suas segundas intenções de quebra da legalidade.

 

As manifestações podem trazer um apelo positivo, de convocação para todos contribuirmos com nossa atuação democrática.

 

Elas podem mostrar a importância  de nossa participação cidadã, e a  urgência da agilidade que agora se requer de todas as esferas estatais.

 

Esta é outra constatação evidente. O país não pode ficar paralisado, cada qual olhando para a inércia do outro.

 

Esta é a realidade: os problemas abarrotam a agenda dos Três Poderes, e se requer agora um esforço redobrado, para dar andamento rápido a todas as providências, sem que um Poder impeça o outro de agir com a devida rapidez que a situação requer.

 

Em especial, que o Judiciário julgue logo os casos que lhe são apresentados, dando pleno direito de defesa a todos os acusados, como estabelece a lei.

 

Que o Congresso Nacional saia do  seu marasmo, e defina as questões que estão pendentes há tempo.

 

E que o Governo Federal acelere as providências  que lhe cabe executar, com agilidade e eficácia.

 

Ao contrário de paralisia, rapidez e colaboração mútua!

 

Que os sentimentos de patriotismo redefinam o rumo e o sentido das manifestações populares. Assim poderemos fazer da crise um novo impulso para a participação de todos na construção do Brasil que queremos, democrático, justo e fraterno.

 

D. Demetrio Valentini é bispo da diocese de Jales-SP.

Recomendar
Última atualização em Sexta, 13 de Março de 2015
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates