topleft
topright
ISSN 1983-697X

Boletim Diário

Email:
Para assinar o boletim de
notícias preencha o
formulário abaixo:
Nome:

Brasil nas Ruas

Confira os artigos sobre manifestações e movimentos sociais no Brasil.

Arquivo - Artigos

Áudios

Correio da Cidadania, rádio Central 3 e Revista Vaidapé fazem “debate autônomo” sobre as eleições  

Leia mais...
Image

Plinio de Arruda

MEMÓRIA

Confira os textos em homenagem a Plinio


Leia Mais

Plinio em Imagens



Confira a vida de Plínio


Charge


Imagem




Artigos por data

 Nov   December 2016   Jan
SMTWTFS
   1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
25262728293031
Julianna Walker Willis Technology

Links RSS

Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania Correio da Cidadania

Áudios - Arquivo

AumentarDiminuirVoltar ao original
Tempos modernos Imprimir E-mail
Escrito por Claudionor Mendonça dos Santos   
Segunda, 05 de Janeiro de 2015
Recomendar

 

 

Os tempos modernos de absurda violência, inclusive institucionalizada, demonstram faceta até então escondida da sociedade brasileira. Alicerçou-se, em bases falsas, que a sociedade tupiniquim é cordata, amável, despojada de qualquer resquício violento. Sacralizou-se expressão criada no mundo da diversão que “brasileiro é bonzinho”. Nada mais falso.

 

A história revela a ocorrência de batalhas cruentas e sangrentas e que demonstram a ferocidade da sociedade brasileira. Lampião e sua mulher tiveram as cabeças decepadas e exibidas, como troféus, à população, como verdadeira prova da violência. A Comissão Nacional da Verdade, sem Justiça, mostrou a faceta horrenda dos torturadores que usurparam o poder em 1964 e que estão até hoje protegidos por uma lei iníqua. O Brasil, além de possuir uma sociedade violenta, protege seus violadores, garantindo, assim, o retorno de tempos sombrios. O amanhã poderá ser ontem.

 

Esse inusitado retrocesso é devido à falta de respeito à dignidade e acovardamento de certas instituições. Nesse passo, cabe aos juristas a identificação dos transtornos que maculam a ordem jurídica e buscar a realidade histórica, buscando também as razões e fatores dos episódios criadores das recentes anomalias sociais. Passo seguinte é equacionar a solução salvadora que não pode, jamais, ser encontrada no passado.

 

É de se buscar tais soluções no aperfeiçoamento das instituições jurídicas e de seus integrantes, já que são eles os verdadeiros artífices da legalidade democrática e intransigentes defensores das liberdades públicas.

 

Vive-se sob o manto de uma Constituição Cidadã e, portanto, Democrática. Deve-se, então, lutar para sensibilizar as forças vivas da nacionalidade, com absoluta prevalência da Lei e, principalmente, da Justiça, possibilitando, dessa forma, a defesa dos direitos essenciais ao Homem.

 

Os operadores do Direito deverão se engajar numa autêntica cruzada cívica, ressaltando que nenhum bem é mais importante do que a dignidade a que tem direito todo o ser humano, feito à imagem e semelhança de Deus, princípio e fim de todas as aspirações terrenas.

 

O aparelhamento judicial, englobando todos os seus operadores, deverá ser fortalecido, com o aprofundamento da democratização da Justiça, que deverá perder seu caráter de privilégio, garantindo a condição de um pressuposto fundamental e elementar para o exercício e a defesa dos direitos humanos.

 

A Justiça jamais deverá ser alcançada pela desordem e, sim, pela paz, pelo Direito e, em hipótese alguma, pela força. Nem pelo golpe às instituições democráticas que foram duramente reconquistadas.

 

 

Claudionor Mendonça dos Santos é Promotor de Justiça e membro do Movimento do Ministério Público Democrático.

Recomendar
Última atualização em Quarta, 21 de Janeiro de 2015
 

A publicação deste texto é livre, desde que citada a fonte e o endereço eletrônico da página do Correio da Cidadania




Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.


Vídeos

Índios Munduruku: Tecendo a Resistência

Imagem

Documentário sobre as resistências indígenas às hidrelétricas do Tapajós
Leia mais...

A Ordem na Mídia

Eugênio Bucci: “precisamos de um marco regulatório democrático na comunicação”


Há uma falência nos modelos de negócios refletida nas relações trabalhistas, na concentração de propriedade, formação de monopólios e oligopólios e no aparelhamento por parte de igrejas e partidos. Entrevistamos Eugênio Bucci, jornalista e professor da ECA-USP, que afirmou a necessidade de um marco regulatório democrático para fortalecer a democracia no Brasil.
Leia mais...


Brasil_de_fato
Adital
Image
Image
Banner_observatorio
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image
Image

Diario Liberdade

Espaço Cult

Image
Image
Revista Forum
Joomla Templates by JoomlaShack Joomla Templates