Operação de guerra contra camponeses em Rondônia

 

alt

O genocida Estado burguês-latifundiário, mais uma vez, lança suas tropas contra famílias camponesas que habitam simples choupanas em meio à mata em Rondônia.

 

Não se vê qualquer atitude desse mesmo Estado quando é para punir os assassinos de camponeses, como é o caso do dirigente da Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia Cleomar Rodrigues, ocorrido em 22/10/2014, em Pedras de Maria da Cruz, onde os latifundiários mandantes do crime sequer foram intimados pela polícia. E, por isto, será realizada nesta cidade mineira, dia 24 de novembro próximo, uma grande Manifestação em repúdio ao assassinato de Cleomar, com a participação de camponeses, operários, advogados, jornalistas e ativistas de organizações democráticas e populares, vindos de várias partes do país.

 

Segundo sites de Rondônia,  “Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Exército realizaram a denominada ‘Operação Terra Limpa I’ na madrugada desta quinta-feira, 20/11/2014. Por volta das 3 horas da madrugada, as equipes da Polícia Civil, Polícia Militar, Força Nacional, Corpo de Bombeiros e 17º Brigada do Exército de Porto Velho, com apoio do 7º Batalhão da Polícia Militar de Ariquemes, Grupo do GOE, delegado regional de Polícia Civil, dr. Renato Morari, e Comandante do 7º BPM, Ten. Cel. Vasconcelos, apoiado pelos delegados de Polícia dr. Rodrigo Spiça, dr. Ricardo Rodrigues, dr. Vinicius Bastos, dra. Juliana, dr. Elizeu Muller de Porto Velho e outros delegados de Polícia de outros municípios, totalizando aproximadamente 80 profissionais, se reuniram na sede da Delegacia Regional de Polícia Civil em Ariquemes, para realizar o planejamento da Operação Terra Limpa I”.

 

O alegado objetivo da operação de guerra contra simples famílias camponesas foi de “localizar armas ilícitas, substâncias entorpecentes, foragidos da Justiça e de localizar e prender o responsável pela morte de Elias Pereira Pinto, acontecida em um confronto no dia 04/10 na fazenda Formosa”.

 

Por volta das 4 horas da manhã as equipes se deslocaram até a Fazenda, localizada na zona rural de Monte Negro, próximo a Buritis, entre as linhas 50 e 54, onde a mesma havia sido “invadida” por um grupo de sem-terra denominado Liga dos Camponeses Pobres (LCP), segundo informações desses mesmos sites. Perto das 6h30 da manhã as equipes chegaram ao local, onde dividiram a operação em etapas.

 

De início, foram feitas buscas e contenção de todo o perímetro, em seguida foram dados fiéis cumprimento a 23 Mandados de Busca e Apreensão no interior dos barracos, onde foram localizadas “cápsulas de espingardas e uma motocicleta com a documentação vencida”. Por fim, o grupo que, entre crianças e adultos, totaliza 53 pessoas, que foram cadastradas, identificadas,  posteriormente, prestaram depoimento para uma possível reintegração de posse.

 

Esta Operação contou com o apoio aéreo de um helicóptero Shuazyer denominado Falcão do Grupamento Aéreo da Polícia Militar do Estado de Rondônia, revela também esses sites. Acabando por mostrar todo ódio, preconceito e repressão que são desatados pelo Estado burguês-latifundiário contra as humildes famílias camponesas, que lutam apenas pelo seu sagrado direito à sobrevivência digna.

 

Abaixo a repressão do Estado genocida contra os camponeses!

 

TERRA PARA QUEM NELA VIVE E TRABALHA!

 

Julio Cesar de Castro presta assessoria técnica em Construção Civil.

E-mail: jota.castro(0)yahoo.com.br

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados