Previdência Social ou Bolsa Banqueiro

0
0
0
s2sdefault

 

O "Bolsa Banqueiro" é alimentado por várias fontes. Uma delas é o sistema de previdência social. Para assegurar a aposentadoria do trabalhador, o patrão desconta porcentagem do salário que deve ao empregado e acrescenta a sua contribuição.

 

O enorme volume de recursos arrecadado é depositado em bancos privados, sendo por estes aplicados a juros de distintas maneiras.

 

Obviamente esse dinheiro pertence ao trabalhador e não ao INSS. Menos ainda aos bancos em que são depositados.

 

Conseqüentemente, os juros desse dinheiro deveriam reverter ao trabalhador na hora da aposentadoria. Não é o que acontece. Ao aposentar-se, o trabalhador recebe a magra aposentadoria e nada mais. Os juros foram inteiramente embolsados pelos banqueiros.

 

Não se entende por que os sindicatos não acionam a justiça na defesa de seus associados.

 

A esquerda brasileira também está devendo uma atitude mais agressiva em relação a este aspecto. Se sua bancada apresentar um projeto acabando com esse furto e for para as portas das fábricas mobilizar a massa a fim de pressionar, não estaria fazendo mais do que sua obrigação.

 

Tal projeto, se aprovado, acabaria de vez com uma prática profundamente nociva aos interesses dos trabalhadores. Como se sabe, muitos patrões, com o assentimento dos empregados, que precisam do emprego, não fazem o desconto da contribuição previdenciária sobre os salários e aproveitam para não fazer também a contribuição patronal.

 

Aliás, o projeto regulador das aposentadorias deveria agregar também um artigo criando uma figura delituosa para punir o empregador que cometesse tal irregularidade.

 

{moscomment}

Comentários   

0 #7 Inadmissível@waasantista 14-03-2011 08:40
Inaceitável: dinheiro público deve ser aplicado em banco público. Dinheiro da aposentadoria do trabalhador, de forma alguma deve irrigar o já fértil solo dos bancos privados. Cadê a esquerda?
Citar
0 #6 FinalmenteCarmen Figueiredo 12-03-2011 10:24
Para alguns um artigo como esse tão esclarecedor, parecerá intriga da oposição. Mas ele mostra a verdade nua e crua de como a contribuição do trabalhador ao INSS é manipulada pelo empregador e por banqueiros.
Citar
0 #5 Criminalização e luta socialReinaldo Santos de Almeida Jún 12-03-2011 02:17
O tipo penal que criminaliza a sonegação de contribuição previdenciária foi definido no artigo 337-A do Código Penal brasileiro pela Lei n°. 9.983/2000. Tal fato nos demonstra que a criminalização é simbólica e ineficiente para combater as causas políticas, econômicas, sociais e históricas que determinam a referida prática no contexto social brasileiro. De fato, trata-se de organizar os trabalhadores para reivindicar seus direitos. Na luta de classes, utilizar as armas da lei, que oprimem a classe trabalhadora, não lhe permitirá a sua libertação. Só a luta muda a vida!
Citar
0 #4 Carmem 08-03-2011 07:35
Acho muito interessante este alerta. Nunca havia pensado no assunto. Acho difícil que alguém assuma a causa. Ainda nem chegamos a resolver a questão da aposentaria arruinada da maioria dos cidadãos.
Citar
0 #3 Augusto de Almeida 07-03-2011 10:26
Do fim para o começo: (1) Para quê criar um sistema de fiscalização (ou artigo criando uma figura delituosa - como coisa que já não o é o empregador descontar a contribuição do salário e não a depositar no INSS) para ver se os empresários cumprem com suas obrigações em relação a seus empregados? Melhor seria dar toda essa fiscalização na mão do trabalhador, que é quem está junto ao empregador e que, portanto, tem melhores condições de cobrar comprovantes de depósitos devidos por lei. Qualquer um que já trabalhou em empresa, grande ou pequena, já ouviu do RH: "não comente seu salário com seus colegas". Transparência num mundo desses é piada! E lei nenhuma vai consertar isso, esperança só existe (se é que existe) se o trabalhador assumir as rédeas do próprio destino e a fiscalização dos próprios direitos. (2) Não são só "os banqueiros" que lucram com isso. O "Governo para Todos" também. Aliás, qual é a diferença entre uma coisa e outra, visto que dentre os maiores bancos do país estão os do Governo? Nem é só o INSS, mas também o FGTS e outras coisanhas mais de cuja totalidade não me lembro agora (duas delas, por exemplo: contribuição sindical, mesmo para quem não é sidicalizado, e contribuição para a reforma agrária - causa justa que não deveria ser financiada com essas tansações indiretas ou subreptícias descontadas do salário do trabalhador urbano para alimentar o caixa único do governo).

Abraços!
Citar
0 #2 Até que enfim!!!!Naaman Sousa de Figueiredo 06-03-2011 15:30
Até que enfim, uma análise lógica e convincente sobre a arrecadação do INSS. Ovo de Colombo... O que fazer agora?
Citar
0 #1 Patricia Jacques Fernandes 06-03-2011 08:56
A argumentação sobre a omissão dos sindicatos na proteção dos direitos dos trabalhadores faria sentido se os sindicatos não fossem também parte do problema. Os sindicatos não servem para defender os trabalhadores, mas sim para barganhar vantagens para seus líderes que, em época de eleição, jogam com a vida do trabalhador. Muitas das vezes, seus líderes são eleitos com alianças expúrias com auqeles a quem deveriam combater. Por que será que não há mais mobilizações contra a alta lucratividade dos bancos?
Se na época de Vargas, os sindicalistas eram pelegos, hoje, são capachos mesmo.
Fica uma pergunta: por que ainda há essa conversa de direita e esquerda no Brasil? Se pararmos para observar, veremos que são todos vinho da mesma pipa: todos querendo garantir uma boquinha?
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados