Edição 990

  • Pixadores: “o Brasil não aceita pobre revolucionário”

    Pixadores é um documentário legítimo e soube fugir da romantização que se tornou o senso comum das últimas produções documentais.

  • ‘A Petrobrás está mais orientada ao capital financeiro do que ao desenvolvimento’

     

    altCom a Petrobrás no centro da crise política, econômica e ética que marcou 2015 e os desdobramentos da Lava Jato, seus funcionários também entraram em cena e realizaram uma greve de 20 dias. Conversamos com Felipe Grubba, membro do sindicato.

  • O mal estar da administração tucana

    A rebelião estudantil em São Paulo é mais do que uma simples mobilização pela educação. Ela é, também, uma revolta contra este aspecto objetivo do gerencialismo neoliberal.

  • Energia eólica e os desafios socioambientais

     

    altO modelo adotado de implantação dessa atividade econômica no Brasil é, em si, causador de inúmeros problemas ao meio ambiente e às pessoas. O discurso do ambientalmente correto esconde práticas socialmente injustas das empresas do grande capital, evidenciadas cada vez mais com o passar do tempo.

  • Venezuela: a armadilha

     

    altO resultado desloca a oposição da sua postura confortável e seu frenético denuncismo porque agora, ao contar com uma folgada maioria parlamentar, terá corresponsabilidades na gestão da coisa pública. Já não será só o governo central o responsável pelas dificuldades que acossam a cidadania.

  • Rancores siameses

    altPor entender que os governos petistas não se posicionaram em nenhuma causa fundamental ao lado dos explorados, muito ao contrário, trabalharam para negar os antagonismos sociais e posicionaram-se sempre a favor da ordem burguesa, não encontramos razão para sair às ruas em defesa desses governos.

     

  • O Brasil tem de reviver como Nação

    altOs transportes no Brasil retratam a situação de um país ao qual foi negada permissão para desenvolver-se. Tudo serve aos carteis transnacionais do petróleo/indústria automotiva. As principais ferrovias são de natureza colonial: transportam aos portos colossais quantidades de minérios.

  • Impeachment: legalidade e legitimidade

     

    altServirá, sim, para desviar a atenção do povo e encobrir os problemas estruturais do Estado e da sociedade brasileira: desigualdade social, negação dos conflitos e apropriação histórica do Estado por interesses privados nacionais e internacionais.

  • Retrato da crise brasileira

     

    Nau sem rumo, o governo Dilma, refém de sucessivos escândalos de corrupção, se depara com a corrosão de sua “joia da coroa”: o social.

  • Fragilização das instituições

     

    Com a mesma rapidez com que o Supremo decidiu pela prisão de um Senador, deveria analisar agora as acusações feitas contra o presidente da Câmara. Chega de intrigas. Vamos cuidar da crise!

  • Impasse no jogo duplo da Turquia

     

    altEm dois meses, foram atingidos 32 complexos petrolíferos, 11 refinarias, 23 estações de extração de e destruídos 1.080 caminhões cheios de barris. Esteja o governo turco autorizando ou não o contrabando de petróleo da Síria e do Iraque, o fato é que existem 98 km de fronteira sem vigilância.

  • A vitória parcial dos estudantes de SP é desdobramento autêntico das jornadas de junho

    altO verbo é “somar” – não “dirigir”. Quem se recusa a entender isso, simplesmente não compreendeu nada do que houve nas ruas de 2013 para cá.

  • A Venezuela na encruzilhada

    altFrente ao desgaste de um Estado permeado pela corrupção, apoiado cada vez mais em militares que frequentemente não reconhecem a liderança de Maduro como acatavam a Chávez, o discurso da "guerra econômica", embora real, tem se mostrado insuficiente.