Edição 989

  • Da terra à água: noroeste mineiro se mobiliza contra barragens na bacia do Urucuia

     

    altDébora Firmino, do Comitê de Defesa da Bacia do Rio Urucuia e que coordena a vigília na nascente do Córrego Barriguda, explicou a situação vivida na região e falou da importância de se atentar à questão da água  - neste caso, o Rio Urucuia, um dos principais afluentes do São Francisco.

     

  • Estados Unidos: a movimentação da Rússia na Síria

    A preocupação da Rússia com a Síria deriva da necessidade de manter o único aliado naquela região. Assim, o alvo de Moscou não se restringe aos extremistas, mas abrange a oposição. Resta aguardar como o governo norte-americano irá se comportar lá com a incorporação imprevista de duas novas potências europeias a uma guerra outrora civil.

  • Scioli, Cristina e o kirchnerismo garantem a governabilidade e o ajuste de Macri

    altCada qual buscará canalizar o descontentamento em relação ao macrismo nas suas bases. Os dirigentes campeões de denúncias ao “ajuste macrista” já mostram que o “carrasco dos ajustadores selvagens” era só demagogia. Scioli no poder teria atuado da mesma maneira. Por isso, agora colabora.

  • Há um terrorista em mim

     

    É fácil criticar os terroristas do Estado Islâmico, que não respeitam nada nem ninguém. Difícil é derrotar o terrorista que me habita e se manifesta quando encontro quem não pensa como eu. O terrorista que há em mim fala em democracia para o público externo.

  • Saneamento: das Olimpíadas ao Zika vírus

     

    altBem-vinda a Campanha da Fraternidade. Quando os governantes não assumem, o povo precisa assumir. Sem saneamento não há saúde pública.

  • Direito ao aborto e respeito à vida das mulheres

     

    altNa reação aos retrocessos em tramitação na Câmara e à violência desse projeto de lei, elas levaram às ruas as maiores manifestações pelo direito ao aborto já vistas no Brasil. Eduardo Cunha e aqueles que o apoiam, com destaque para parlamentares religiosos, devem ser colocados entre os responsáveis.

  • Por um “comitê de salvação”

     

    altÉ provável que o PT esteja diante da última oportunidade que lhe resta para tomar um rumo que o leve a ser novamente considerado coerente com os preceitos de sua fundação.

  • Portugal: um novo ciclo político

    altToma posse o governo de António Costa, do PS, apoiado num acordo parlamentar com os partidos à sua esquerda: Bloco de Esquerda, PC e os Verdes. Foram precisos 53 dias – durante os quais um governo foi nomeado e derrubado – para que a realidade se impusesse.

     

  • O outro lado das gravações do filho de Cerveró que a grande mídia não vai mostrar

     

    altA Operação Lava Jato não vaza somente para a imprensa, vaza também para banqueiros. Gilmar Mendes e Dias Toffoli são citados na gravação. E o senador Romário, segundo Delcídio, apoiaria o candidato de Paes para esconder a conta na Suíça.

     

  • Reorganização escolar

    altOs argumentos oficiais não justificam o custo social e pedagógico que a reorganização acarretará. Caso contrário, não encontraríamos na lista das 94 unidades a serem fechadas 30 escolas com desempenho acima da média no Idesp 2014.

  • Terrorismo Ambiental e Dívida Ecológica

     

    altO presente artigo visa ilustrar a ocorrência de terrorismo ambiental em três exemplos de exploração de minério de ferro, nióbio e ouro, e levantar a necessidade de avançar os estudos sobre a “Dívida Ecológica”, especialmente diante da iminência de votação de novo Código de Mineração.

     

  • Corrupção & capitalismo

     

    altA participação de André Esteves na operação que vinha sendo organizada com o intuito de despachar Nestor Cerveró para o exterior, após habeas corpus a ser acertado com o Judiciário, é apenas um elemento a mais na comprovação de que corrupção não é raio em céu azul de um capitalismo "ético".

  • Agricultura saudável é o melhor negócio

     

    altCondenar o Brasil a mero exportador de bens primários é seguir o velho modelo colonial-escravista, concentrador de terra e renda. As exportações de commodities agrícolas transformaram a alimentação em mercadoria, sem qualquer preocupação com o meio ambiente e as pessoas.

  • Retrocessos na América Latina

     

    altAinda que políticas sociais tenham sido implementadas com êxito e livrado milhões de da miséria, as reformas estruturais, quando feitas (não é o caso do Brasil), não foram suficientes para criar um modelo alternativo ao neodesenvolvimentismo consumista.