Edição 988

  • ‘Governos de PT e PSDB são igualmente responsáveis pelo rompimento da barragem’

    O Brasil ainda passará muito tempo fazendo o inventário da tragédia do rompimento da barragem de resíduos de minério de ferro, da Samarco, empresa da Vale e BHP Billiton, no distrito de Bento Rodrigues, localizado na cidade Mariana (MG).

  • Política em transe

     

    Para além do trauma democrático, a deposição de uma presidenta eleita sem indícios de crime significaria uma ruptura institucional, mas não sistêmica. Vive-se no país um momento de arrumação e de renegociação sobre quem vai gerir a paz social lucrativa pelos próximos anos.

  • Haiti: sobre farsas e tragédias

    A história política recente do Haiti é mais uma contínua sucessão de tragédias e de farsas combinadas, de ditaduras, fraudes, massacres e violações. Se no dia da eleição não houve mortos, eles vieram um pouco depois.

  • Pacto das catacumbas

     

    altO papa Francisco retoma, com sua linha pastoral, o Pacto das Catacumbas. Quer uma Igreja misericordiosa, missionária, pobre, comprometida com “a revolução da ternura”.

  • Repisando “narrativas” – Tentativa de Síntese Programática II

     

    altApresentamos agora o que compreendemos como as políticas do segundo eixo programático extraído do documento “Mudar para sair da Crise”.

  • Paris pode unir rivais contra inimigo mortal

     

    As eleições presidenciais vêm aí e Obama quer eleger seu sucessor. Nem pensa em perder votos e embarca nas exaltadas exigências do War Party. Já Hollande não está nem aí. Numa união que se forma entre França e Rússia, os aviões e naves de guerra dos dois países já estão atuando de forma coordenada,

  • A lama do desenvolvimento

     

    altEm tempos de ideias pós-modernas, a catástrofe social e histórica na lama do desenvolvimento nos exige parar de discutir sobre o menos pior e voltar a pensar sobre o inédito, necessário e viável processo de reconstrução de outros projetos de desenvolvimento para além do capital. A relação entre os seres humanos, demais seres vivos e natureza neste modelo de desenvolvimento não é sustentável e nunca será.

  • SuperPorre das Américas

    altEm meio a tanto anticlímax, já havia soado estranho o anúncio da maior renda da história do futebol argentino, a superar os 20 milhões de pesos e mostrar ao mundo que por lá a cultura do ingresso a preço de ouro também aportou.

  • Austeridade na educação: estudantes respondem com mais 100 escolas ocupadas

    O cancelamento das reintegrações de posse abriu precedentes para que dezenas de escolas fossem ocupadas pelos estudantes e levou ao recuo da repressão, que se faz presente na forma da Polícia Militar, ou seja, sua presença menos ostensiva deu a sensação de segurança para estudantes, comunidade escolar e apoiadores em geral.

     

  • Paris, terror e humanidade

     

    altNem o Estado francês e seu presidente conservador, tampouco os EUA e seu presidente eleito como um democrata, ou os que empunharam armas e bombas em Paris, parecem representar de fato a combalida humanidade. Todos são parte dela. Parte de uma forma histórica que precisa ser superada.

  • A ética de Ali Babá

     

    altA CPI da Petrobras gasta fortunas do contribuinte e termina com um relatório pífio, no qual o único culpado é quem, por meio de delação premiada, colabora com a Justiça na identificação de criminosos.

  • Repisando “narrativas” – Tentativa de Síntese Programática – I

    altO eixo de adoção imediata e emergencial comporta três grandes políticas: 1) contrapor-se a qualquer tipo de golpe institucional; 2) mudar a atual política econômica; 3) revigorar e democratizar o papel do Estado.

  • Dupla advertência

    altO rompimento da barragem em Mariana e os novos atentados em Paris nos fazem intuir que existem coisas profundamente erradas, cuja dinâmica é preciso prevenir em tempo, se não queremos colher suas amargas consequências.

  • Vitória da rebelião estudantil na África do Sul

     

    altDepois de dez dias de protestos sem precedentes, os estudantes da África do Sul arrancaram uma vitória contra o aumento das taxas universitárias previstas para o próximo ano.