Edição 987

  • “Para onde olhamos, vemos projetos de destruição do SUS”

    altA Copa do Mundo já passou e a zona leste de São Paulo continua mais ou menos a mesma de sempre. Aguerrida, a população local contra-atacou com a organização de um posto de saúde popular. É sobre isso que conversamos com o médico da família Felipe Gonçalves.

  • Os bastidores da lama política em Minas Gerais

    altNa noite de 23/04/2014 comemorava-se o casamento entre o empresário José Guilherme Ramos e Fernanda Coura, filha do presidente do sindicato das mineradoras. A concepção do desastre ao mundo é melhor entendida quando as figuras que brindavam e bebiam no Alta Vila são identificadas.

     

  • O terror dos drones, denunciado e documentado

    altNa Operação Haymaker, um programa especial no nordeste do Afeganistão, os drones mataram 35 indivíduos listados como terroristas. Pena, que, junto com eles, 219 civis não identificados foram também assassinados.

  • “Me jogaram no chão e me algemaram, meus olhos ardiam em brasa. Não houve diálogo”, diz professor

    altUm dos professores agredidos pela PM na frente da escola, no último sábado, está em licença médica e recebe o apoio dos alunos; Apeoesp levará caso para pelo menos três Comissões de Direitos Humanos.

  • Marx, Gramsci e o poder: dois marxismos?

    altGramsci surge como um crítico da política na exata medida em que Marx surgira, pouco menos de um século antes, como um crítico da economia, buscando desvendar as leis de funcionamento do capitalismo. Mas Gramsci não coloca a política acima da economia.

     

  • Manual para exterminar índios

    altHoje em dia existem modos mais modernos e igualmente eficazes, como reduzir drasticamente os recursos da Funai, sem inclusive prejudicar a sigla, que passaria a ser conhecida como Funerária Nacional dos Índios.

  • Petrobrás: muito se fala e pouco é verdade

    altObviamente, os objetivos da mídia convencional e dos políticos representantes dos interesses estrangeiros são forçar a Petrobrás a não ser a operadora única do Pré-Sal, não ter 30% de todos os consórcios firmados nesta área, não haver exigência de conteúdo local e até retornarmos ao modelo das concessões para a área do Pré-Sal. Ou seja, uma pauta bem antinacional.

     

  • Tragédia da mineradora em MG: a promiscuidade entre poderes político e econômico no Brasil

    altPara oferecer uma visão técnica e amplificada do desastre, entrevistamos a coordenadora do Laboratório de Química Analítica e Ambiental da Universidade Federal do Pará, Simone Pereira. “Será que abrir para o mercado privado a exploração minerária influi no aumento da produção e diminuição do cuidado ambiental?"

  • Educação às avessas

    altNão seria absurdo dizer que a mais bem sucedida dupla de pedagogos do país atende pelos nomes de Geraldo Alckmin e Herman Voorwald; suprimem o direito à educação pública, ao mesmo tempo suspendem a normalidade alienante de uma política pedagógica imbecilizante.

  • Matadores e seus mandantes

    altÉ difícil identificar o que Cheney, Rumsfeld e Bush representaram no saque do petróleo iraquiano através da destruição de um dos dois países mais avançados da região? Estão, em todos os casos, os Estados Unidos, as ex-potências colonialistas e o principal cúmplice regional, a Arábia.

     

  • Síria: tudo o que muda após a ação da Rússia

    altExtremistas do ISIS finalmente são confrontados; exército nacional recompõe-se. Em outro front, guerrilha curda cresce e tenta formar Estado. Mas guerra ainda está longe do fim. As denúncias ferozes dos estadunidenses contra a intervenção russa provêm do fato de que as pessoas em Washington reconhecem as vantagens da Rússia naquilo que os EUA não tiveram capacidade de fazer.

     

  • Discurso de Francisco aos participantes aos movimentos: defender a Mãe Terra

    alt“A casa comum de todos nós está sendo saqueada, devastada, vexada impunemente”. O discurso de Francisco, que certamente não agrada aos detentores do poder econômico, mesmo que às vezes se digam “católicos”, é claramente anticapitalista.