Edição 984

  • Inexorabilidade da geração nuclear

    altA meu ver, existe para o grupo de ambientalistas que é, de forma enfática, contra a geração nuclear, a triste notícia que está no título. Falo com relação ao médio e longo prazo.

  • A economia a serviço dos Povos

    altAs palavras do Papa revelam que sua tomada de posição é claramente anticapitalista, verdadeiramente profética, radicalmente humana e profundamente evangélica. E nós, cidadãos e cidadãs, cristãos e cristãs, de que lado estamos?

  • Palestina: a colonização israelense é a raiz da violência

    altA ideia de que uma Israel/Palestina livre seja uma democracia para todos nunca esteve no programa liberal sionista. Este desejo de não compartilhar a vida com qualquer coisa que cheire a árabe é uma atitude que afeta diariamente a cada palestino. Mais de um século de colonização e nada mudou.

     

  • Repisando “narrativas” – Reurbanizar as urbes

    altAs mudanças climáticas estão colocando à mostra tanto os resultados dos desmatamentos do agronegócio quanto a ausência de regulagem e gestão dos cursos d’água. Em geral, está ausente a constatação de que a maior parte das cidades possui bairros inteiros sem arborização.

     

  • A economia se apropriou da natureza

    altSempre se faz oportuno destacar que o mercado, assim como toda a economia, depende de algo que está acima de tudo isso: a natureza. A economia, como atividade produtiva, é apenas um subproduto do ambiente natural, e depende dos mais variados recursos que emanam da natureza.

  • Nomofobia e meditação

    altParece que estão todos acometidos de nomofobia, essa permanente dependência do celular, também qualificada de atenção parcial contínua. Há quem não consiga desligá-lo nem na hora de dormir.

  • Pequena síntese sobre a conjuntura política brasileira

    altA defesa das instituições democráticas deve permanecer na agenda dos que esperam e lutam por transformações estruturais no Brasil, mas não subsistem quaisquer razões para a defesa do governo – não há o que pactuar com quem já escolheu pactuar com as elites financeiras, o patrimonialismo e o clientelismo, e abandonou qualquer perspectiva emancipatória.

  • Coxinhas e governistas: dupla face da intolerância da classe média?

    altPor que as disputas políticas envolvendo PT, PSDB, PMDB e outros partidos da ordem parecem invisibilizar as lutas reais? Não se pode esquecer do cerco midiático-privado e estatal-governamental contra os movimentos sociais. Mas outras razões devem ser colocadas, e são melhor compreendidas se nos debruçarmos sobre a conjuntura inaugurada a partir de junho de 2013.

     

  • Obama começa a fechar Guantánamo

    altNo fim deste ano, Obama resolveu cumprir sua promessa de 2009. Vetou o orçamento de Defesa para 2016, que continha autênticos jabutis. Foi apenas um gol, é verdade que decisivo. Ele precisa marcar outros para o jogo acabar com vitória. No entanto, o mais difícil já foi feito.

  • Fim da bonança econômica expõe limite da “Revolução Cidadã” no Equador

    altAinda sem muita repercussão regional, a América Latina vê ruir um de seus mais festejados processos políticos recentes, inclusive com cenas de repressão a movimentos sociais. Sobre isso, e também da conjuntura sul-americana, conversamos com o cientista político equatoriano Décio Machado.

     

  • Os primeiros passos na Europa

    altOs sírios são colocados em ônibus direcionados ao campo Kara Tepe, em Mytilene, enquanto os demais são levados ao campo de Moria. Em Kara Tepe, o sentimento é de um acampamento de férias; já em Moria, antigo centro de detenção local, a sensação é de estar de fato em uma prisão lotada.