Edição 963

  • ‘Ajuste fiscal vai liquidar com os mais frágeis e concentrar a renda’

    altO Brasil está inundado com as manchetes, notícias, comentários sobre as atuais medidas de ajuste fiscal. O trabalhador já começou a sentir na pele. O economista Guilherme Delgado foi entrevistado pelo Correio da Cidadania para avaliar cenário de difícil tradução para os leigos.

  • Em novembro o Podemos será mais pragmático ou vai manter a firmeza política dos movimentos?

    altSe estas eleições consolidaram o novo papel político do Podemos, por outro lado, o próximo apontamento eleitoral obrigará a direção desse partido a definir outro tipo de estratégia, já que estará em jogo a derrota institucional do PP e a chegada às salas do poder.

  • Questão nuclear: carta aberta ao ministro Joaquim Levy

    altSr. Ministro, temos seguido pelos jornais seus esforços para diminuir os gastos do governo. Pois teríamos uma sugestão a lhe fazer, que se mede em termos de bilhões a serem economizados: parar a construção de Angra III.

  • Política de Segurança Pública no Brasil ou o aborto dos que nasceram

    altInfelizmente, no final da audiência, o prefeito Haddad perdeu a linha. Disse que os índices de homicídios são menores na Vila Mariana porque lá “a população se organiza”, enquanto seriam maiores nos bairros pobres da zona sul por falta de organização.

  • Vitória histórica

    altDia 27 de maio de 2015 jamais sairá da memória do futebol. Pelo menos por um dia, vencemos. Agora vamos olhar os mercadores e seus meninos de recado com a fronte mais alta que nunca.

  • 30 anos do Hizbollah: o falso consenso em torno à sua origem na ‘radicalização’ (2)

    altComo o Crescente Fértil (Iraque, Síria, Líbano, Palestina) está sob ameaça real de extinção pelos EUA, o Hizbollah não tem como comemorar o trigésimo ano de sua existência e o décimo quinto ano como líder da resistência de sua vitoriosa campanha de libertação do Líbano.

  • Nós votamos, eles elegem

    altSó um imbecil pensa que financiamento eleitoral de empresas é “doação”. É, de fato, investimento. Empresas e bancos “emprestam” grana à espera de retorno assegurado pelo desempenho político do eleito.

  • Trabalho infantil condiciona o futuro

    altTem havido um esforço global no combate ao trabalho infantil, em especial de suas piores formas, que compromete o desenvolvimento da criança e do adolescente. Há um protagonismo não só dos governos, mas também da sociedade civil.

  • Embuste ou cegueira

    altVirou moda nos círculos influentes neoliberais exigir que o Brasil volte a negociar a ALCA, redirecione suas prioridades para os EUA e a Europa, e se engaje no Acordo do Pacífico. Para esses círculos, a economia norte-americana já teria retomado seu crescimento firme.

  • As 14 principais razões por que a Petrobras deve ser a operadora única no pré-sal

    altO senador José Serra (PSDB-SP) apresentou o projeto de lei PLS 131-2015 que visa alterar a Lei 12.351 de 2010, conhecida como a lei da partilha do pré-sal. Aqui justificamos a manutenção da lei da partilha com a garantia da operação única pela Petrobras.