Edição 951

  • Do ganha-perde ao ganho-ganha

    altPor que há uma polarização política tão intensa durante os governos do PT, se tanto as classes baixas, médias e altas obtiveram aumentos reais anuais?

  • Hora de Sangue Frio

    altA turbulência nas alturas aumentou muito, mas o impressionismo é mau conselheiro. Não vale a pena se assustar antes da hora.  Não há nenhum setor importante da classe dominante apostando em um golpe. Nem sequer apareceu, até agora, algum setor da burguesia, minimamente representativo, defendendo o impeachment.

  • Ao senador Eunício Oliveira, o “coronel” do Brasil - Carta Aberta

    altSenador Eunício, o governo federal (presidido pelo “Partido dos Traidores” - o novo PT), diante das muitas denúncias de irregularidades levantadas, tinha a obrigação moral de vistoriar suas propriedades (a começar pela Fazenda Santa Mônica, parcialmente ocupada pelos Sem-Terra).

  • Respeitar a Constituição

    altQue nestes dias ninguém se deixe fazer a cabeça por quem quer utilizar nossos protestos para suas segundas intenções de quebra da legalidade.

     

  • O PT e seu eterno retorno

    altÀs vezes o analfabeto político resolve começar a pensar com os argumentos que tem à disposição. Como a esquerda hoje não tem nenhum, alguns falam em fazer a “batalha da comunicação”, mas só se esquecem de dizer pelo que se deve batalhar.

  • É vital defender a Petrobrás e a engenharia nacional

    altDesorientado pela grande mídia, o público sofre e ignora que as desgraças, agora mais nítidas, decorrem da estrutura de mercado formada ao longo de 60 anos, concentrada e desnacionalizada.

  • ‘Constrói-se clima de tensão no país, para amedrontar protestos por direitos’

    altPara discutir conjuntura sob fortes tensionamentos, o Correio da Cidadania conversou com Natalia Szermeta, da coordenação do MTST, um grande aglutinador da atualidade nos movimentos sociais e grupos políticos contrários aos ajustes econômicos.

  • A crise elétrica e a grande imprensa

    altVerifica-se que, ao longo do tempo, feudos partidários foram instalados no governo federal, sendo um deles o Ministério de Minas e Energia, cujo segundo escalão concentra muitos órgãos com alto e forte poder de decisão financeira e administrativa.

  • Terceirização, corrupção, impeachment e hipocrisia

    altUma onda de patriotismo, moralismo e correção inunda o país da falta d’água. Não se quer mais corrupção e impunidade. E isso é ruim? Claro que não! O mal é utilizar o argumentO para alcançar maiores benefícios pessoais.

  • O Brasil precisa de uma saída para além do Fla-Flu

    O adoecimento ainda maior da nação é o que poderá decorrer do aprisionamento ao debate bipolar e hipócrita, muitas vezes entre assemelhados – os pró-impeachment versus os contra-impeachment. Debate que tem entre seus grandes interessados e precursores a mídia corporativa e poderosos grupos econômicos e políticos.

  • Mais socialismo

    altMesmo que o socialismo mantenha a propriedade privada, estabelecendo relações de cooperação e luta com a propriedade pública, isso é abominável para os representantes do capital pelo simples fato de que eles perdem o domínio sobre a economia.

  • Crise e impasse desconstroem política social instituída a partir de 1988

    altAs MPs de números 664 e 665 de 30 de dezembro de 2014, que tratam de alteração de regras previdenciárias, tramitam normalmente (já vigoram suas regras restritivas mesmo sem votação pelo Congresso), não foram devolvidas pelo senador Renan.

  • Solidariedade aos famintos e sedentos do Itaim Bibi e Morumbi

    altSe hoje a fome e a sede se deslocaram dos nossos sertões para o Itaim Bibi e outros bairros nobres de São Paulo – panelaço é uma forma de protesto de famintos e sedentos - e outras capitais, então, merecem todo respeito.  E merecem nossa solidariedade.

     

  • Dilma/PT legaliza escravidão ao volante e garrote para os motoristas

    altA profissão de motorista de caminhão e/ou de ônibus é estressante, perigosa, insalubre e penosa. A jornada de trabalho deveria ser reduzida para 6 horas diárias, e não aumentada para 12 horas.

  • Do limão à limonada

    altÉ possível imaginar que, pela forma aviltada como o neoPT reage aos ataques dos que lhe querem tomar a chave do cofre para implementar os mesmos programas macroeconômicos, uma anemia irreversível se anuncia, e um vazio se estabelece de forma acelerada.

  • Chapeuzinho e o lobo – fábula brasileira

    altO lobo resolveu preparar o bote ao ver Chapeuzinho enfraquecida, cercada de atoleiros por todos os lados, o cofrinho vazio e sem o apoio dos habitantes da floresta. Mas não queria comê-la de uma bocada só, como propunham as bruxas. E sim como se toma sopa quente: pelas beiradas. Aos poucos. Até ocupar a cobiçada casa da vovozinha antes que seus concorrentes o fizessem.

     

  • Netanyahu prega a guerra

    altNetanyahu já se atritou com Obama – e não foram poucas vezes –, mas desta vez foi demais. A Casa Branca já deixou bem claro que cabe a ele reparar a rachadura que se abriu entre seu governo e os EUA, antes que vire um abismo.