Edição 895

  • A desvalorização e a batalha dos preços na Argentina

    altO clima econômico é fortemente associado a problemas estruturais, que não podem ser ignorados e exigem soluções criativas para a discussão, na perspecitva de alterar a equação dos beneficiários e perdedores na sociedade argentina, o que nos leva ao campo da luta política e do poder.

  • Depois de 20 anos em São Paulo, tucanato mostra sua cara

    altO tempo revela que as políticas públicas tucanas se voltaram para grandes obras superfaturadas, em prejuízo total dos serviços essenciais ao povo, como a própria educação e saúde públicas, transporte coletivo, saneamento básico etc.

     

  • Honduras: o verde oásis de paz?

    altO paradisíaco Caribe pelo qual é abençoada esta terra também possui bestas selvagens que, vestidas de verde, se propõem a aniquilar os agricultores que defendem o direito a terra.

     

  • Desafios aos países da CELAC

    altTodos os governos progressistas que, hoje, se congregam na CELAC sabem que foram eleitos pelos movimentos sociais e pelos segmentos mais pobres que constituem a maioria da população. No entanto, será que há um efetivo trabalho de organizá-los?

  • Ucrânia sem propaganda

    altA Ucrânia na Comunidade Europeia é estrategicamente muito importante para a política do Ocidente. A OTAN aumentaria seu poder, tomando um aliado da Rússia e empurrando as fronteiras da influência moscovita mais para o Leste.

  • ‘Inevitavelmente, a sociedade terá de se abrir mais para o debate das drogas’

    altO Correio da Cidadania entrevistou o médico psiquiatra Dartiu Xavier da Silveira, professor da Unifesp e conhecido nos debates e propostas anti-proibicionistas, que vão na direção contrária da doutrina de guerra às drogas – cada vez mais contestada e desmistificada.

  • Cultura stalinista

    altMentindo, caluniando, desqualificando e, sobretudo, conspirando em torno de projetos no sentido de conquistar eventuais aparelhos, o stalinismo instituiu a prática da  má conduta.

     

  • “A grande maioria dos ucranianos não quer esta nova guerra civil”

    altA Solidaire, semanário do Partido do Trabalho da Bégica, entrevistou Jean-Marie Chauvier para melhor compreender a situação atual da Ucrânia, jornalista e ensaísta belga, especialista em Ucrânia e ex-União Soviética.

  • Secas urbanas

    altA humanidade não quer aprender com suas tragédias. A da água é uma das mais visíveis há décadas e prosseguimos como se ela não existisse.

  • Discernimento e responsabilidade

    altUma das belezas maiores do futebol decorre da rigidez de suas normas, que o juiz se encarrega de aplicar. A democracia também precisa de regras claras, seguidas com rigor. Também quando se trata de manifestações de massa.

  • Liberdade ao professor colombiano Francisco Toloza

    altO conhecido intelectual, professor universitário colombiano, foi preso. Seu nome é Francisco Toloza. Até quando vamos continuar permitindo isso? Por que o Estado da Colômbia continua a fazer parte das agências multilaterais latino-americanos sem receber sanções diplomáticas ou comerciais?

  • Classes e luta de classes: formação do proletariado

    altEm praticamente todos os países que ingressaram no capitalismo, a libertação e a expropriação forçada do campesinato, e sua transformação em força de trabalho livre, constituiu uma das condições para a formação da classe proletária, ou dos trabalhadores assalariados.

  • Uma semana de tiros, ameaças e ilegalidade em São Paulo

    altNo dia 27, Daniel Biral, dos Advogados Ativistas, que cuidava do caso de Fabrício Proteus Chaves – baleado pela PM durante manifestação –, recebeu um aviso ao deixar a Santa Casa (onde seu ex-cliente estava internado), que pode ser entendido como ameaça de morte.

  • Reforma e Revolução

    altSe não fazemos trabalho de base, batendo de porta em porta, mobilizando, chamando e organizando o povo para lutar, a tal condição subjetiva para a revolução, como a camélia, vai murchar, cair do galho e depois morrer.

  • Capital, mídia, governo e sindicatos tramam contra direitos dos trabalhadores

    altEnquanto maquinam contra a vida do trabalhador, as centrais sindicais gastam o tempo dos seus “dirigentes” e o dinheiro do trabalhador discutindo a qual candidato darão seu apoio. Felizmente, ainda restam esperanças que nascem nas ações das novas gerações descrentes de tudo o que é oficial.

  • A dívida e os servidores públicos

    altO endividamento público vem pautando a vida do povo brasileiro sob diversas formas. Na medida em que subtrai grande parte dos recursos orçamentários para o pagamento de juros e amortizações, prejudica a destinação de recursos para todas as áreas sociais.

  • Segunda Guerra Fria, em ‘off’, levanta-se contra a Rússia e seu projeto de maior visibilidade

    altPutin é acusado pela mídia de recorrer ao autoritarismo e querer reeditar o “estadismo da URSS”. O que está acontecendo é, na realidade, “uma segunda guerra fria em off”, que EUA e Grã Bretanha promovem todos aqueles que ameaçam seus planos de expansão.