Edição 887

  • Bergogliomania e crise (3)

    altUma carreira meteórica, garantida pelo favor de Karol Wojtila, que tinha reduzido o teólogo progressista Leonardo Boff e seus partidários ao silentium obsequiosum, e proclamado claramente que “a Igreja católica não é uma democracia”.

     

  • Petróleo, Diplomacia e Divisas Internacionais

    altPorque o governo não se valeu do Art. 12º e preferiu leiloar o Campo de Libra, a política de exploração deste será determinada no âmbito do seu Comitê Operacional (Art. 24º), composto pelo presidente da empresa pública e por um representante de cada uma das empresas consorciadas.

  • Mídia e oposição engrossam coro fiscalista pra encurralar governo

    altCuriosamente, a despesa corrente que desequilibra as despesas públicas é o pagamento dos juros, jamais questionado pelos analistas vinculados à defesa do modelo macroeconômico defendido pelo sistema financeiro.

  • Barafunda brasileira

    altAliados do governo acusam a grande mídia de conivência com a espetacularização do julgamento. Por que então o Planalto não dá andamento aos projetos de regulamentação e democratização da mídia? Por que não impede a formação de oligopólios?

     

  • Ressonâncias de Aprendizagem na Ocupação-comunidade Dandara

     

    altO território, ao ser ocupado em 9/4/2009, estava abandonado e não produzia nada. Hoje, em centenas de hortas nos quintais das mil casas de alvenaria já construídas, alimentos são produzidos e, conforme dizem alguns, “o que mais Dandara produz são pessoas

  • Mensalão e (En)Cena(ção) Política

    altCom um governo dito de esquerda, que realiza um programa que não mexe nos interesses das frações hegemônicas da burguesia, a oposição de direita perdeu seu discurso. O único meio de retomar o controle dos aparelhos de Estado foi o de utilizar o discurso moralista.

  • Genoíno x Norambuena: a exceção e a regra

    altEstive duas vezes na Papuda visitando o Cesare Battisti e não discordo. Mas, se lá as condições são inadequadas para um enfermo, o tratamento que recebem os presos colocados sob o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD), é infinitamente pior, até mesmo homicida.

  • A ilegitimidade do novo golpe-fraude em Honduras

    altEsperamos que o povo hondurenho e seus organizadores possam portar-se à altura das circunstâncias e conduzir o país a uma saída que venha a reverter um processo eleitoral fraudulento, o qual tem sido conduzido com a maior irresponsabilidade.

  • Pobre mercenário: por que o Uruguai retira suas tropas do Haiti?

    altO Uruguai ficou exposto na vitrine haitiana. A saída do Haiti é uma medida de prudência, antes que sobrevenham males maiores. Um recuo imposto pelo setor mais lúcido da burocracia da Frente Ampla, vencendo resistências internas.

  • O lobby está perdendo

    altAté mesmo o falcão Harry Reid pensa na possibilidade de acabar nem apresentando o projeto das novas sanções ao Irã... Mas, não se enganem, os congressistas do Israel, first são muitos e bem organizados. E é certo que Netanyahu vai fazer muitas denúncias de supostas infrações.

  • Energia nuclear: falsa solução para um falso problema

    altO vale tudo e a insanidade predominam. Chegam à raia da desonestidade científica e intelectual ao afirmarem que “as usinas nucleares não oferecem risco à população”. Mentem descaradamente associando eventos que estão ligados à questão da gestão do setor elétrico.

  • Democracia e Totalitarismo

    altSe as circunstâncias nos impõem o dilema, democracia versus totalitarismo, não temos como vacilar. O inimigo maior é o totalitarismo e a democracia burguesa, no que pese seus claros e graves limites, se põe acima do repugnante nazifascismo ou do totalitarismo stalinista.

     

  • Equador: a opção pela dependência

    altAlegando que o país tem imensas riquezas minerais que necessitam ser exploradas para que as gentes possam ascender a bons níveis de consumo, o governo vem passando por cima daquilo que foi a pedra fundamental da nova Constituição: a vontade popular.

  • Líbia implodiu a democracia criada com a “guerra humanitária” da OTAN

    altOs generais do Pentágono descobriram que na Líbia os EUA estão repetindo o mesmo erro que o governo Bush cometeu no Afeganistão com os Taleban e Bin Laden. Quer dizer: os emissários de Hillary Clinton usaram muita leviandade e dólares para cooptar as lideranças do fundamentalismo islâmico.

  • Olho espião

    altApenas uma nação tem conseguido driblar a espionagem estadunidense: Cuba. Isso tanto irrita a Casa Branca que, contrariando todos os princípios do Direito, mantém presos nos EUA os cinco heróis cubanos.

     

  • Conjuntura Indigenista: governo investe na desmobilização dos povos

    altO governo federal dá sinais cada vez mais evidentes de que comanda as fileiras anti-indígenas na direção de dificultar e inviabilizar o reconhecimento e a demarcação das terras indígenas e de abrir caminho para acelerar a exploração das terras demarcadas.

  • Classes e luta de classes: ainda as questões de análise

    altAs sociedades urbanas e industriais resultaram de transformações profundas nas formas anteriores de produzir; novas relações de produção e, com isso, profunda transformação das antigas classes sociais em novas, embora nem todas as anteriores tenham sido extintas.

  • A República fede

    altUns e outros se acusam de mensaleiros, de receber propina no esquema do Metrô, e outras mais. Ambos se defendem, dizem ser intriga de adversários, mas demonstram que há algo de pobre nesse outro lado do Equador.