Edição 878

  • Negros matam negros

    altNão há, pois, como imaginar que a questão racial esteja acima da luta de classes. Em sendo assim, a questão central está na divisão da sociedade em classes e camadas sociais e é esse fato que deve definir os rumos da nossa atividade política.

  • Convite para o diálogo

    altContinua repercutindo a longa entrevista que o papa Francisco concedeu ao diretor da revista dos Jesuítas. Sua própria extensão, e a diversidade de assuntos abordados, sinalizam com clareza a intenção de uma ampla plataforma de diálogo de assuntos importantes.

  • Com Vandalismo: ‘fomos atrás dessas pessoas e as acompanhamos na linha de frente’

    alt“A ideia do documentário 'Com Vandalismo' veio depois que fizemos o registro da primeira manifestação em Fortaleza, no dia do Brasil x México pela Copa das Confederações, disse Bruno Xavier ao Correio da Cidadania.

  • "The Obama regime"

    altProponho que abramos uma nova frente da luta ideológica e que, de agora em diante, comecemos a falar do “regime de Obama”, ou o “regime da Casa Branca”, a cada vez que tivermos que nos referir ao governo dos Estados Unidos. Será um ato de estrita justiça.

  • A comida do agronegócio - um comentário ao texto de Zander Navarro

    altSe o agronegócio se extinguir, juro que não morreremos de fome e, talvez, a gente nem saiba que ele morreu

  • O Discurso e a Prática de Dilma

    altA suposta altivez do discurso de Dilma, na ONU, em menos de 24 horas, ficou desmoralizada por ela mesma, em seu patético apelo à plateia reunida pelo Goldman Sachs.

  • Brasil: cinco séculos de escravidão velada!

    altE o que há em comum entre Lula e José do Patrocínio? Ambos são mitos, tidos por habilidosos negociadores políticos, expertos oradores populistas e rotulados de “libertadores” pela classe social em êxtase escravizada. Mas que mantiveram o estado de exploração e subvenção.

  • ‘Dever da esquerda é levar à disputa eleitoral questionamento à governabilidade conservadora’

    altPara o deputado federal Chico Alencar, “a importância das próximas eleições é abrir a oportunidade para que a esquerda colabore com essa multidão de modo que ela possa expressar um projeto político alternativo, e não apenas insatisfações difusas”.

  • A força dos Movimentos Sociais Populares

    altOs militantes de Movimentos Sociais Populares de todo o Brasil afirmam: “precisamos construir um entendimento no campo popular, sobre quais as mudanças políticas que queremos, sobre que tipo de reformas estruturais e que tipo de reforma política.

  • Buraco no peito

    altPara que o direito à cidadania não fique restrito aos discursos políticos, o combate à fome exige, no mínimo, reforma agrária, distribuição de renda e escolarização compulsória de todas as crianças.

  • Por um agro sustentável

    altO perfil da produção agrícola brasileira, entre 1990 e 2013, tem se alterado bastante: enquanto, nesse período, a produção de soja e milho aumentou, a produção de arroz, feijão e trigo diminuiu.

  • ‘O Estado, a cada manifestação que passa, só deixa mais claro que declarou guerra à população’

    alt“Não vai parar, não tem mais volta. Isso que aconteceu no Brasil foi uma ruptura, tanto pra escancarar a democracia disfarçada que temos, como pra fazer nossas reivindicações serem ouvidas de uma vez por todas”, resume ao Correio o advogado Luiz Guilherme Ferreira.

  • A Chevron e o Equador

    altA Chevron foi responsável por um verdadeiro desastre na Amazônia. A população local a processou. Por solicitação da própria Chevron, o processo passou para a justiça do Equador, que condenou-a a pagar uma indenização de US$ 19 bilhões.

  • Estados Unidos e Síria: a longa relação

    altNos dias atuais, ante a impossibilidade de alterar imediatamente o regime político de Teerã, Washington lançou os dados em desfavor de Damasco na esperança de avançar no intrincado jogo de xadrez político daquela região.

  • Pedro Pomar – 100 anos

    altPomar merece ser homenageado, no centésimo aniversário de seu nascimento, principalmente pelo que foi, fez e deixou escrito para as gerações futuras. Em meio aos cenários de sua época, ele levantou preocupações sobre questões humanas universais.

  • ‘Baixa’ inscrição para o Leilão de Libra é história mal contada

    altUma comentarista de um dos mais importantes jornais brasileiros, depois de ouvir um especialista, disse que o modelo adotado pelo governo para a exploração do Pré-Sal sofreu uma derrota.