Edição 875

  • Recurso ao TCU contesta edital de licitação do petróleo do pré-sal de Libra

    altA Agência Nacional de Petróleo preferiu burlar a lei a correr o risco de adiar o 1º Leilão do Contrato de Partilha. O ministro das Minas e Energia justifica, em entrevista, que “o TCU não teria sugestão, observação ou crítica a fazer, portanto, está tudo dentro dos conformes”.

  • Apelo eficaz

    altAlém de correto, o gesto do Santo Padre é corajoso, pois, na verdade, sua proposta constitui uma crítica evidente ao gesto do homem mais poderoso do mundo.

  • Cientistas Políticos?

    altEm suma, poderíamos dizer: há uma total impossibilidade de um aparelho político e ideológico da burguesia, como é a academia, fornecer um conhecimento em contraposição ao próprio sistema.

  • “Tocando Piano” para o império do mal – o “maldosão”

    altPara que “tocar piano”?! Para quê?! A resposta é simples: 140 milhões de eleitores vão deixar todas as suas impressões digitais para o TSE, que possui vasos comunicantes com a Polícia Federal, que, por sua vez, possui vasos comunicantes com o FBI.

  • Clima de mobilizações populares pode dar mais força ao Grito dos Excluídos de 2013

    altPara comentar a 19ª edição, à luz das recentes revoltas no país, o Correio conversou com Juvenal Rocha, integrante da Comissão Pastoral da Terra. Na conversa, ele lembra que os setores que compõem o Grito já há muito tempo alertavam para os “gritos ocultos” espalhados pelo país.

  • O Ocidente contra a Síria, o Ocidente contra a Humanidade

    altEsta que certamente é a mais grave crise internacional desde os anos 1960. A guerra que o Ocidente, liderado pelos EUA, trava na Síria que, com a possibilidade concreta de um ataque direto de Washington a Damasco, pode determinar a sorte de toda Humanidade pelas próximas décadas.

  • Contra-poder popular

    altPior do que aquele presidente-ditador que não gostava do cheiro de povo é o político que se diz democrata e detesta a proximidade do povo, preferindo que ele seja mantido à distância pelas forças policiais.

  • Grito dos(as) Excluídos(as) 2013

    altO Grito dos(as) Excluídos(as) deste ano – em sua 19ª edição – tem como tema “A exclusão dos(as) jovens” e como lema “Juventude que ousa lutar constrói o Projeto Popular!”. Pretende refletir sobre a situação da juventude - vítima de um sistema gerador de exclusão, discriminação, violência e extermínio – e convocar os(as) jovens ao protagonismo social.

  • Um grito oportuno e responsável

    altO Grito dos Excluídos se apresenta com a firmeza de sua experiência, e com o acerto de suas intuições, que o acompanham desde a sua primeira realização. Quando a sociedade se surpreende diante do peso que pode assumir a manifestação pública de suas demandas, o Grito pode apresentar o seu atestado de maturidade, fruto de uma longa sequência de edições anuais ininterruptas, com a clareza das causas levantadas.

  • Que os excluídos construam um novo poder, que deve ser do povo!

    altQue esse processo crescente de experiências gere as bases sólidas para a construção de outra sociedade, onde a justiça, a solidariedade entre todos e a distribuição de renda prevaleçam definitivamente sobre os criminosos interesses do sistema capitalista.

  • O Ocidente contra a Síria: segundo round

    altPara a extrema-direita dos EUA, a Síria rompeu a “linha vermelha”. Por este motivo, não atacar a Síria seria considerado uma vitória do eixo Teerã-Moscou-Pequim e uma desmoralização do poder norte-americano no Oriente Médio e no mundo.

  • Reunião na Agência de Segurança

    alt– E a situação do Brasil? – Tem muito petróleo lá e de boa qualidade. Só o existente no Pré-sal é, no mínimo, 100 bilhões de barris. Trata-se de um país com um governo dócil, a mídia está completamente dominada e é a nosso favor.

  • Prefeitura de São Paulo precisa responder se baixa renda será contemplada pela política de habitação do centro

    altEm entrevista ao Correio da Cidadania, Caio Castor, membro do Coletivo Comboio, que ajuda o Moinho com trabalhos urbanísticos e braçais, fala da situação da última favela do centro, que em sua visão “não se encontra contemplada pela política de habitação da prefeitura”.

  • Black Blocks e PMs

    altMesmo que entre os Black Blocks existam os que se intitulem anarquistas, socialistas, revolucionários, ou lá o que seja, e até carreguem cartazes com a foice e o martelo, não devemos esconder que a esquerda sabe e denuncia que eles são fascistas.

  • Aqui e lá

    altBrademos, sim, contra a corrupção e a incompetência, mas não nos esqueçamos de bradar, mais ainda, contra o capitalismo, pois, enquanto subsistir esse sistema, teremos que amargar as injustiças do dia a dia.

  • Reação elitista aos médicos cubanos

    altCuba não é uma maravilha e isto não é uma defesa ideológica do seu regime político. Mas a reação à vinda dos médicos cubanos é ridícula e vergonhosa e, ela sim, ideológica. E, o que é mais constrangedor, os cubanos já perceberam e estão tirando de letra.

  • Ataque à Síria: o mundo está contra

    altDepois dos três ataques programados, o governo sírio não ficará de braços cruzados. O conflito deve se acirrar, talvez se espalhe pelo Oriente Médio, com grande aumento das mortes de civis.

  • Obama sabe que se aliou à al-Qaeda?

    altSe Obama decidir atacar o regime sírio, terá conseguido, pela primeira vez na história, pôr os EUA como aliados da al-Qaeda. Que aliança! Não eram os Três Mosqueteiros que gritavam “um por todos, todos por um”, cada vez que saíam procurando briga?

  • O que teme o CFM? Opinião de uma brasileira que cursa medicina em Cuba

    alt