Edição 874

  • Irrupção, fim de ciclo e interregno

    altFalência histórica de um ciclo da política, um modelo. Mas também o tempo da inexistência de nexos que articulem projeto alternativo. São ocasiões, segundo Gramsci, propícias ao aparecimento de “sintomas mórbidos, fenômenos estranhos, criaturas monstruosas”.

  • Um festival de horrores

    Ignominiosa a crítica que políticos e certos órgãos de imprensa vêm fazendo ao governo, por ter negociado com o Estado de Cuba a vinda desses médicos. O motivo de tal crítica é puramente ideológico.

     

  • Os EUA não se emendam

    altE, assim, Obama repete Bush, que rejeitou as conclusões da comissão da ONU de que não havia armas nucleares no Iraque. Como Bush, Obama viola as leis internacionais, dispensando a aprovação do Conselho de Segurança da ONU.

  • Mais uma crise

    altO atual quadro da economia brasileira deixa clara a iminência de mais uma devastadora crise externa, tão ou mais profunda que as anteriores, como a que levou à moratória submissa em setembro de 1982 e a do final de 1998, com o mesmo problema.

  • Onde foram parar todos os Punks da classe trabalhadora na exposição ‘Chaos to Punk’ do Metropolitan?

    altÉ uma espécie de vingança, em honra do nome e da memória dos punks da vida real que, ao verem este fashion show, devem ter ficado revoltados ou se revirando nos seus túmulos. Por isso vocês estão aqui, lendo um artigo sobre uma exibição que não poderão ver.

  • Hora de voltar às ruas

    altPelo andar da carruagem, parece que está chegando a hora de retornar às ruas para conquistar e defender cada uma das medidas que atendam aos reclamos das manifestações de junho e julho de 2013.

     

  • Tudo por dinheiro (parte 1)

    altEm recente visita à microrregião de Itaparica, aos municípios de Floresta, Belém do São Francisco, Petrolândia e Itacuruba, pude constatar a completa falta de informação das respectivas populações sobre a provável instalação de uma usina nuclear na região.

  • A REDE de Marina

    altPaira uma visão de preconceito, desqualificação, e também receio. Mas, no fundo, o que o meio político tem dela é receio. Mesmo com suas contradições, trouxe para o cenário o chamado “pensamento complexo”.

     

  • Braços Abertos aos Médicos Cubanos

    altDefendia-se, ontem, a restrição do número de universidades de medicina e, hoje, o monopólio corporativo e o embargo à chegada de profissionais do exterior, com destaque para os cubanos, socialistas e, horror dos horrores, não poucos negros!

  • Leis antiterror e antijurídicas

    altOs EUA e seus aliados na Europa estão pouco se lixando para os protestos de nossos governos subalternos. Em nome de seus interesses, continuarão a bombardear civis, torturar supostos terroristas, invadir nações, espionar.

  • ‘O aumento dos juros vai na contramão do que as ruas estão pedindo’

    altChacoalhado pelas ruas, o governo continua a correr para satisfazer os interesses do capital especulativo. “O governo precisará ter mais superávit fiscal para cobrir parcelas de juros que vão ficar mais pesadas”, disse o professor da Unicamp, Plínio de Arruda Sampaio Junior.

  • ‘Operação de fuga de senador boliviano, comemorada pela mídia, foi ato de altíssima ilegalidade’

    altPara discutir o momento, que tem como alguns de seus focos a espionagem dos EUA sobre o Brasil, a detenção de um brasileiro em Londres e o polêmico asilo ao senador boliviano, o Correio conversou com Samuel Pinheiro Guimarães.

  • ‘Ocupação do Cocó ensina a todos uma práxis política radicalmente voltada ao interesse coletivo’

    altFica registrado mais um triunfo – preliminar, é verdade – do novo momento de lutas sociais vivido pela população brasileira, como a própria Fortaleza pôde ver no mês de junho, uma vez que a cidade esteve entre as que mais colocaram manifestantes nas ruas.

  • Com Vandalismo – Documentário completo

    alt

  • Os Mensageiros de Deus

    altO que me fez querer ver o filme agora foi a certeza antecipada de que o discurso feito pelo deputado Marco Feliciano sobre aquele assassinato não estaria correto. E eu acertei em cheio!

  • O que você precisa saber sobre médicos cubanos

    altProfundo conhecedor da realidade de Cuba e membro do núcleo de estudos cubanos da UnB, o jornalista Hélio Doyle produziu diversas análises técnicas sobre a importação de 4 mil profissionais pelo governo brasileiro.

  • Síria, entre a tirania interna e a intervenção estrangeira

    altGrosso modo, a “iraquização” da Síria não é outra coisa senão a criação de um cenário onde, como abutres, os atores internacionais em disputam chegam e se alimentam do moribundo cidadão sírio que lutou contra seu próprio irmão.