Edição 861

  • Proposta de ‘política afirmativa’ para ensino superior público paulista pode provocar mais exclusão

    altO que está em jogo com o Pimesp não é apenas a implementação das cotas e políticas afirmativas (sobre as quais os movimentos sociais teriam muito a contribuir se chamados) mas o futuro da própria universidade pública.

  • Viagem a Detroit, a cidade fantasma

    altUm deserto habitado apenas por cães vadios, dependentes de drogas sem abrigo e outras pessoas marginalizadas na sociedade. Um dos exemplos mais impactantes da outra América.

  • Os recursos do Pré-Sal para a educação

    altEsse valor é, grosso modo, a vigésima parte do que falta para atingirmos os necessários 10% do PIB. O preço pago vale a pena?

  • 2014 é agora

    altA reeleição de Dilma parece mais garantida do que a do próprio Lula, seu fiador político, em 2006. O jogo parece já feito; a política brasileira se encaminharia para uma aparentemente interminável mesmice.

  • Adeus a Georges Moustaki

    altAdeus companheiro Georges. Um Dia Foste Embora, tinha que ser. Obrigado. Nunca deixarei de te ouvir e de te cantar: "Adolescência" e... "Dire qu'il faudra mourir un jour".

  • Queima de carros na Suécia: o rei está nu

    altEm 10 anos, a direita conseguiu vender quase todas as conquistas dos trabalhadores do pós-guerra ao capital de risco internacional. 

Como no reino da Suécia está proibida a indignação, são os filhos bastardos os únicos com coragem para dizer que o rei está nu.

     

  • Grilagem de terras no Barreiro em Belo Horizonte?

    altJogar 700 famílias nas ruas, em completo abandono social, e manter os terrenos nas mãos dos especuladores é inadmissível. Lutamos pelo resgate das terras do Vale do Jatobá, ilegalmente repassadas à iniciativa privada.

  • Partido e democracia interna

    altO que Michels denunciou há 102 anos é praxe ainda hoje. A direção do partido é progressivamente ocupada por um seleto grupo profissionalizado que, a cada eleição, distribui entre si as diferentes funções.

  • Um velho debate

    altSe o governo continuar esperando o espírito animal das burguesias nativa e estrangeira com concessões públicas, benesses tributárias e outros manjares sem risco, talvez a sina da economia de serviços se torne realidade.

  • As crianças palestinas apanham como gente grande

    altAs informações do relatório da Unicef foram confirmadas por uma comissão formada por nove conceituados juristas ingleses, liderados por um ex-juiz da mais alta corte, sir Stephen Sadley.

  • A força e a rebeldia da Revolta do Busão, em Natal

    altCom a forte repressão e uma campanha imunda da mídia patronal contra os manifestantes, até aqui, fim de maio, o aumento passou, ainda que haja uma liminar pedindo a sua suspensão, ainda não julgada. Mesmo temporariamente enfraquecido, o movimento segue nestes dias realizando novas manifestações.

     

  • Libra: a gota de petróleo a transbordar o barril

    altA subserviência ao mercado do governo brasileiro, acoplada à traição de brasileiros representantes dos interesses de grupos estrangeiros, inova ao entregar campo e, não mais área, para busca de petróleo.

  • Anistia: carona para torturadores não!

    altA preservação da memória, pela qual tanto se trabalha ultimamente, só se completa com a aplicação da sanção penal aos culpados. Nenhuma conciliação é possível em termos tão desiguais.

  • Videla e Comissão da Verdade

    Com o impacto da morte do ditador, na prisão, o governo Rousseff, através de José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, tranquilizou os criminosos de Estado brasileiros e as instituições que os apoiam, assegurando que não promoverá qualquer iniciativa para cassar a auto-anistia por eles promovida e referendada pelo STF, em 2010.