Edição 848

  • A contrarrevolução de uma blogueira

    altTivesse essa crítica nascido na árida vida das oligarquias, alcançaria estudos de qualidade? Formada em jornalismo pelo Prouni, teria expressão panfletária nas mídias patrocinadas por multinacionais e políticos de rapina?

  • Planejamento urbano e o direito a vida: provocações para o debate

    altPercebe-se a que cada novo dia está sob uma encruzilhada em relação à gestão das cidades, no caso, entre coletivizar o poder sobre a cidade ou terceirizar sua gestão à lógica imobiliária e à especulação econômica desenfreada.

  • O pranto da injustiça

    altAs 362 famílias que perderam os seus familiares no incêndio de Comayagua, em 14/02/2012, se posicionaram pacificamente em frente ao palácio presidencial em 14/02/2013 para exigir uma resposta do governo de Honduras.

  • A redução do preço da energia e as esquerdas brasileiras

    altPor que o governo apresenta uma resposta à crise da economia mundial, uma crise do capitalismo, subsidiando empresas capitalistas? Não seria o momento de implementarmos algumas alternativas diferentes destas políticas clássicas usadas para salvar o capitalismo?

  • Governo financia entrega das infraestruturas do país a bancos e multinacionais

    altO governo criou, em 2009, a Estruturadora Brasileira de Projetos (EBP), curiosa união do BNDES com oito bancos com atuação no país. É esta empresa que estabelece as condições para a continuidade da entrega do país.

  • As tradições do conclave

    altO isolamento dos cardeais visa a evitar intromissão do poder civil e vazamento dos debates que precedem os escrutínios. Porém, com as atuais tecnologias de captação de som à distância, não é improvável uma escuta remota do conclave.

  • Sede Vacante

    altParecia que o impulso renovador do Vaticano II já tivesse se esgotado. De repente, a renúncia de um papa acaba mostrando que é possível, sim, mudar muitas coisas.

  • Rio, 448 anos de beleza e do caos

    altEntre os males contra o Rio, o maior de todos é a pequena política. Os mercadores do interesse puro tomaram conta do templo majestoso. Aos 448 anos de existência, o Rio navega entre a beleza e o caos.

     

  • O Ministério Público Federal me acusou

    altTorno pública essa história com o objetivo de registrá-la e divulgá-la, pois creio que o episódio que narro abre um precedente perigoso. Caso não seja um precedente, mas praxe, pior ainda.

     

  • Tráfico de Pessoas: quem se importa?

    altNota-se que o tema foi tratado de forma holística, há uma visão da necessidade de se criar e consolidar uma cultura de Educação para o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas.

  • Duplo poder papal

    altO tempo urge, o mundo já ingressa na pós-modernidade e a Igreja Católica ainda reluta em efetivamente aplicar a decisões do Concilio Vaticano II e admitir que fora da Igreja também há salvação.

  • A Igreja-instituição como “casta meretriz”

    altO cristão tem que ser adulto, não pode se deixar infantilizar nem permitir que lhe neguem conhecimentos em teologia e em história para dar-se conta de quão humana e demasiadamente humana pode ser a instituição que nos vem dos Apóstolos.

  • Avanços ilusórios

    altSe alguma crítica deve ser feita aos governos petistas, no caso, é não haverem aproveitado numa extensão maior os saldos comerciais externos para elevar substancialmente a importação de bens de capital.