Edição 846

  • O modo socialista de governar: caso de Pernambuco (1)

    altO Estado tem hoje mais de 120 municípios em situação de emergência e 1,1 milhão de pessoas sofrendo os efeitos da seca. E se repete ano a ano a mesma conduta do governo frente à tragédia humana que a seca acarreta.

  • Heresias

    altDuvidamos que certas pessoas disponham-se, facilmente, a discutir seus credos, sem preconceitos e sem se horrorizar com afirmações que fogem dos manuais produzidos criminosamente pela malfadada Academia de Ciências da URSS.

  • A degradação moral da prática política

    altA desculpa é sempre a mesma: um complô da direita, que não se conforma com a vitória do PT e faz de tudo para voltar ao poder. Pode até ser verdade, mas existe prática política mais de direita do que a aliança com Sarney, Maluf, Renan?

  • Bento XVI renunciou, viva o papa!

    altA Igreja, arejada por tempos novos na sociedade, seculares e republicanos, não poderá ficar à margem de um processo histórico contagiante.

  • O enigmático golpe contra Lula (3)

    altPor que razão o governo mundial golpearia tão importante colaborador? Pode até já não mais haver interesse nele, devido aos profundos desgastes dele, de seu partido e aliados. Mas, daí a ser um golpe, há uma distância abissal.

  • Líder intelectual da restauração conservadora da igreja é sua maior vítima

    altO Concílio Vaticano II criou ou ratificou algumas instâncias de ‘democratização’ do poder eclesial. Mas os dois últimos papados, especialmente o de Bento XVI, realizaram na prática um retrocesso à ordem antiga da ultracentralização romana. E tal movimento não se justificou em nome das reformas da Igreja.

     

  • Papas também renunciam

    altIntelectuais não se dão bem com funções de poder. As questões administrativas parecem enfadonhas diante de tantos livros por ler e escrever. Ratzinger talvez tenha decidido reservar o que lhe resta de tempo de vida para recolher-se à oração e à produção teológica.

  • A renúncia do Papa

    altEsta é uma situação completamente nova na história recente da Igreja. Nunca se fez um conclave contando com a figura de um “papa emérito”.

  • Defensorias públicas: de pires nas mãos ou autônomas?

    altVetar o PLC 114/2011, que concede autonomia financeira e administrativa às defensorias públicas, é dar uma péssima notícia aos pobres. Sem o fortalecimento das defensorias públicas, não haverá no Brasil acesso à justiça para todos.

  • Estados Unidos: duas vãs aspirações dos democratas

    alt2012 não trouxe bons resultados aos democratas no final do primeiro mandato, porque a saída dos efetivos do Iraque não significou a estabilidade do país, nem o governo pôde manter o mesmo nível de estímulos à recuperação econômica.

     

  • A síndrome do 470

    altOs filiados atingidos pela ação penal 470 não podem transformar sua situação numa síndrome partidária. Precisam ter consciência de que tal mobilização tende a desviar o PT e o governo das questões políticas essenciais.