Edição 845

  • A eleição de Renan Calheiros

    O sigilo do voto não foi colocado na Constituição para proteger os parlamentares, mas seus eleitores. A única maneira de evitar situações indesejáveis, como a da eleição de uma pessoa notoriamente corrupta para um cargo público, não depende do Congresso, mas do eleitorado. Portanto, a raiz do problema é a participação do povo na política.

  • Bajo Aguán: três horas para um crime

    altA cada três horas se mata um camponês em Bajo Aguán pelo fato de trabalhar a terra, e os assassinos caminham em plena liberdade perseguindo a sua próxima vítima.

  • João Teimoso neoliberal

    altPor que a Petrobras não aproveitou a situação para importar somente a gasolina e o diesel que sua distribuidora iria precisar? Por que a Petrobras teve que importar derivados e os entregar às distribuidoras privadas, a maioria delas estrangeira, por preço abaixo do que foi comprado no exterior?

     

  • Prejuízo da Petrobrás: a grande mentira

    altA sociedade tem que ficar atenta, já que a presidente da companhia, Maria das Graças Foster, encabeça uma campanha junto à grande mídia para desgastar a companhia e possibilitar a privatização da Petrobrás.

     

  • A Lei de Geraldo e a Lei de Gerson

    altÉ fácil perceber que a Lei de Geraldo rasga e queima toda a filosofia e toda a literatura de meio milênio de luta contra a opressão e atentado aos direitos humanos. O propósito do governo e do MP é um só: ao cercear a ação política que não seja cega, surda e muda.

     

  • Suplicy: ‘é preciso empenho para eleger senadores progressistas, à altura dos anseios de justiça do povo’

    altDifícil, na atual conjuntura política, encontrar uma palavra, ou uma sentença, pra avaliar o retorno de Renan Calheiros ao Senado. O Correio conversou com o senador pelo PT Eduardo Suplicy para avaliar a cena política.

  • Carnaval e juventude

    altA juventude estará no centro das atenções da Campanha da Fraternidade. Muito oportuna a opção da CNBB de fazer da juventude o tema central deste ano. E, de novo, o confronto do carnaval com a quaresma se torna símbolo da situação.

  • O enigmático golpe contra Lula (2)

    altJá estamos vivendo a realidade do Governo Mundial que vem agindo aqui, sibilinamente, por muitas décadas, mas que aspira por ser mais formal, “legal” e consolidar a democracia que lhe interessa, isto é, sob o controle do dinheiro.

     

     

  • Delfim Netto ainda é aquele

    altO modelo econômico da ditadura significou, em síntese, a consumação do deslocamento dos centros de decisão em favor das transnacionais e do sistema financeiro. Isso potencializou os desequilíbrios estruturais do período precedente: dependência tecnológica e financeira e concentração de renda.

     

  • Barrar a insensatez

    altFicou claro que o processo de degradação do sistema político ultrapassou o perigoso umbral do sem retorno. Vai se ampliar o divórcio entre o sentimento cidadão e a lógica que anima os partidos da ordem no parlamento.

     

  • O mito Lincoln e a história universal

    altMuito pouco o filme explora o quanto o próprio Lincoln parecia acreditar em si mesmo como um mito e o quanto ele mesmo trabalhou para ser visto como um mito.

  • Por uma comissão independente para investigar a tragédia da boate Kiss em Santa Maria

    altNo caso similar da Argentina, da discoteca República Cromañón, onde morreram quase 200 pessoas, após a mobilização das vítimas, familiares e populares, conseguiu-se a punição dos responsáveis do poder público.

  • O Historiador Jacob Gorender Faz 90 Anos

    alt O Correio publica entrevista concedida à jornalista Patrícia Benvenuti, do Jornal Brasil de Fato, 3/02/2013.

     

  • Finança mundial

    altA financeirização da economia foi assumindo dimensões gigantescas. Ela se pode definir como a formação de ativos financeiros em proporção exponencialmente maior que a dos ativos reais e produtivos.

     

  • Cartão amarelo para Israel

    altCom o reconhecimento do Estado palestino pela ONU, basta que ele ratifique o Estatuto de Roma para poder responsabilizar Israel perante o TPI por sérias violações dos direitos humanos e das leis internacionais.

  • Medida Provisória dos Portos ameaça direitos trabalhistas e aprofunda a privatização

    altA nossa luta é pela defesa do porto público e do trabalho portuário decente. Não aceitaremos que o governo derrube as emendas e aprove a MP sem acatar o debate e atender as reivindicações das categorias atuantes no setor.

  • Como envenenar crianças

    altMuito além do peso, documentário de Estela Renner e produção de Marcos Nisti é obrigatório ser visto em escolas e famílias. Jamais tive conhecimento de um filme tão pedagógico quanto à alimentação infantil.

  • O Vietnã

    altPara além de alguns versos alinhavados por Ho Chi Mim, os vietnamitas não produziram nenhuma literatura que pudesse agrupar pessoas em torno de um projeto de transformação.

     

  • Estados Unidos: o posicionamento ambivalente diante do comércio de armas

    altChega-se ao primeiro semestre de 2013 com a guerra do Afeganistão sem possibilidade de encerrar-se, devido principalmente à insistência de Washington. Londres mesma, governada pelos conservadores, anunciou sua retirada até 2015.

     

  • Por que voltar às bases?

    altSe os socialistas quiserem ter uma ação transformadora, eles precisam discutir com esse enorme contingente que, para garantir aquele ideal de consumo, e ter acesso a condições de vida superiores, é necessário lutar por mais empregos, melhores salários e pela conquista de maiores direitos sociais e políticos.

  • Pense, reflita e diga não à energia nuclear

    altEstamos andando para trás no que concerne à matriz elétrica. Cada vez mais se instalam termelétricas a combustíveis fósseis, menosprezando os recursos naturais disponíveis.