Edição 832

  • ‘Se Romney vencer, recentes avanços no sistema de saúde dos EUA sofrerão forte retrocesso’

    altPara comentar as eleições nos EUA e o sistema de saúde do país, o Correio entrevistou, em Washington-DC, Julie Yoder, mestre em Linguística e ex-professora no ensino público médio estadunidense, e Marike Korn, especialista em línguas e doutoranda em Filosofia.

  • O pós-eleições: gargalos sociais não serão resolvidos

    Em que pese a ampliação do número de partidos que conquistaram prefeituras importantes, o grosso está no arco ou do bloco dirigido pelo PT ou da oposição de direita, incluídos aí os já citados que gostam de flertar com os dois blocos dominantes. Um resultado que não aponta para mudanças significativas no atual modelo de política econômica e projetos que vêm sendo tocados no país.

  • Teresina a New York

    altRelembremos Darwin: não são os mais fortes que sobrevivem, são os que melhor se adaptam. Porém, até a adaptação tem limites.

  • Em defesa dos índios Guarani Kaiowá

    altO governo federal não pode continuar submisso aos interesses dos fazendeiros gananciosos (tornando-se conivente com eles), mas precisa tomar as devidas providências, em favor dos direitos dos índios. A esperança nunca morre!

  • Eleições, bloco hegemônico e crise econômica

    altNeo-centrão, em referência ao Centrão formado pela direita durante os trabalhos da Constituinte de 1988 para bloquear as conquistas exigidas pela cidadania. Este bloco se reciclou, se ampliou e tem hoje o PT como principal articulador.

  • Mídia e agronegócio

    Ainda que a agricultura familiar responda pela maior parte da produção de alimentos para o abastecimento interno, o noticiário sobre o tema agrário indica que o debate democrático está contaminado por dois fatores principais, interesse econômico e preconceito cultural, que estão presentes nos meios de comunicação, estigmatizando, junto à opinião pública, os sem terra, assentados e agricultores familiares.

  • Palestina: derrota do colaboracionismo

    altNas eleições municipais da Margem Oeste, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, e seu partido, o Fatah, foram derrotados. Pesou contra Abbas e o Fatah uma série de fracassos.

     

  • Obsessão anticapitalista

    altSomos frequentemente acusados de obsessivamente anticapitalistas. Confessamos ser dotados dessa obsessão. Não se trata, entretanto, de um sentimento gratuito. Deve-se ao nosso irremediável amor à vida.

     

  • A atual Guerra do Paraguai

    altSe é o Brasil que consome quase toda maconha produzida no Paraguai, se é o nosso crime organizado que conturba a situação por lá, não seria ineficaz legalizar no Paraguai e manter a restrição aqui?.

  • O Esquecido e o Lembrado na História

    altEra e é necessário negar a vontade do Estado imperial de, apoiado em sua indiscutível superioridade bélica, demográfica e econômica, impor-se sobre a nação paraguaia pela força, como fizera sobretudo em relação ao Uruguai.

  • A mídia ladra, Lula passa

    altComo íamos dizendo, “até hoje o PT não perdeu eleições por razões éticas”. Continua não perdendo e o PT vencedor eleitoralmente é completamente desfigurado em termos de suas propostas originais.

  • A droga da droga. O que fazer?

    altEncontrar a solução adequada não é fácil. Lidei vários anos com dependentes químicos e sei o quanto é inútil manter, no Brasil, a atual legislação proibitiva e repressiva.

     

  • Mudanças em curso

    altNessas condições, a constituição de um bloco de centro-esquerda, centro e centro-direita, dentro do governo Dilma e no Congresso, como oposição ao PT, não pode ser descartada.

  • Salvador: uma cidade oposicionista

    altO povo escolheu um projeto que atendeu ao seu desejo de alternância, por mais conservadora que seja. Por outro lado, afirma-se, com pequenas diferenciações, uma política e dois partidos. O povo novamente perdeu, mas continua oposicionista.

  • Inaugurada a temporada de caça ao petróleo brasileiro

    altNos dias atuais, proliferam veículos, na mídia brasileira, que utilizam a desinformação. Como exemplo, surgem artigos, editoriais, notícias e entrevistas dizendo que as rodadas de leilão de áreas para produzir petróleo devem ser realizadas e que a Petrobras não tem capacidade para explorar sozinha o Pré-Sal.