Edição 824

  • Estado a serviço da nação

    altQuantas vezes vemos, pela mídia, as portas dos palácios de governo se abrirem aos empresários! Agora compare: quantas vezes mostram a cara ao lado de sindicalistas, líderes de movimentos populares, sem-terras, ambientalistas e desempregados?

  • A corrupção e seu (des)controle

    altFundamental que a tutela jurisdicional em cumprimento a princípio constitucional seja suficientemente eficiente para recompor o dano ao patrimônio público, assegurando maior efetividade nessa meta.

  • Ofensiva política da burguesia

    altIndependentemente de se considerar se há ou não réus culpados, fica cada vez mais evidente que esse julgamento não se pauta por parâmetros jurídicos, mas por parâmetros políticos.

     

  • Os generais do PT

    altO partido teve em seu comando um “Estado Maior”, formado por “generais” aptos na arte de conspirar e de promover alianças espúrias, objetivando vantagens através do aparelho de Estado burguês.

  • 18º Grito dos Excluídos: “Queremos um Estado a serviço da nação, que garanta direitos a toda a população!”

    altO deste ano trata diretamente da rejeição ao Estado burguês, excludente e criminoso, e da importância de ir construindo um novo Estado, em que os direitos de toda a população sejam verdadeiramente respeitados.

  • Grito dos Excluídos 2012

    altO Grito dos Excluídos abordará também, em todo país, a questão da moradia. Ari Alberti, da coordenação do Grito, afirmou: “O Estado tem a obrigação de fornecer moradia digna, mas não o faz”. Outro grito deste ano será a denúncia da violência institucional cometida contra a juventude, em particular a juventude negra e pobre.

     

  • Estado a serviço do patrimônio

    altVai para quase vinte anos o Grito dos Excluídos. Em primeiro lugar, olhando “O Estado que temos”, constatamos uma marca registrada persistente e arraigada. É um Estado “patrimonialista”. A palavra logo acena para o “patrimônio”, nos ajudando a perceber que o Estado privilegia o patrimônio como o valor maior que ele tem a promover e a defender.

  • ‘O STF revogará a Lei de Anistia. A questão é saber se daqui a um ano ou vinte’

    alt
    Entrevista com o ex-ministro dos Direitos Humanos Paulo Vannuchi

  • O PT nas eleições municipais de 2012

    altTeria o PT trocado um projeto de Brasil por um projeto de poder? O PT corre, hoje, o sério risco de ficar cada vez mais parecido com o PMDB.

  • O golpe no Paraguai e o Mercosul (1)

    altAlém de seu caráter sumário (36 horas!), as provas (“causas”) para o procedimento foram definidas pelo parlamento paraguaio como “de notoriedade pública, motivo pelo qual não precisam ser provadas, conforme o ordenamento público vigente”.

  • O Egito muda de rumo

    altSuas idéias em política externa são bem conhecidas. É favorável ao reconhecimento da Palestina como país independente pela ONU; ao desbloqueio terrestre, aéreo e naval de Gaza; ao direito do Irã a um programa nuclear pacífico; a uma paz negociada na Síria; a modificações no acordo de paz com Israel.

     

  • Com os recursos disponíveis na administração pública, é impossível responder às demandas sociais

    altNão é verdade que todos os países em estágio de desenvolvimento do setor produtivo equivalente ao Brasil têm um setor público com uma pequena participação no PIB. Além disso, é exatamente nos países mais pobres que a necessidade da presença do setor público é maior.