Edição 815

  • Funai confirma que Terras Indígenas serão afetadas pelo Complexo Tapajós

    altEmbora a Avaliação Ambiental Integrada (AAI) e os estudos de Viabilidade Técnica e Econômica (EVTE) ainda não estejam concluídos, os processos de licenciamento ambiental das usinas já tramitam céleres no Ibama.

     

  • Estradas assassinas de um progresso vampiro

    altDamiana, guerreira Kaiowá-Guarani do tekohá Apyka'i, município de Dourados-MS é o símbolo desse sofrimento e resistência. Teve seu marido Hilário morto por atropelamento e neste último ano três filhos tiveram a mesma sina, morte por atropelamento.

  • Dirigentes atuais da USP querem apenas respirar o ar do mercado

    altO desígnio de muitos dos atuais dirigentes não é mais uma ideologia como em 1964. Eles querem apenas respirar o ar do mercado. Atrelar-se a ele, render-lhe as homenagens do dinheiro público e cultuar o Deus Mamon.

  • Marcha dos Povos, Democracia e Educação

    altA educação e a democracia atual também fazem do homem um sujeito político. Política entendida aqui, sobretudo, como a construção dos direitos da parte que não tem parte no autoritarismo do capitalismo contemporâneo.

  • Questão ambiental e social

    altEm dois anos de pesquisas a mais conceituada academia científica do Reino Unido constatou que não basta falar em preservação, energias renováveis e desaquecimento global sem tocar no apontado pelo velho Marx: a desigualdade social.

     

  • “Cada criança palestina é um terrorista potencial”

    altO advogado Greg Davies declarou: “Quando se pensa no trauma causado por ser preso no meio da noite e jogado numa prisão, sem ninguém saber onde você está, seria muito difícil para uma criança não sofrer danos psicológicos”.

     

  • Belo Monte e a ignorância ambiental

    altDe fato, deve ser duro para um militante histórico de esquerda reconhecer que o grande projeto da presidente que ajudou a eleger é um velho projeto da mesma ditadura militar que ele ajudou a combater, patrocinado pelo grupo político de José Sarney, que é o que há de mais atrasado nesse país.

     

  • ‘Momento para revogar ou reinterpretar a Lei de Anistia é agora’

    altEntrevista com a historiadora Ângela Mendes de Almeida.

  • Golpe de Estado no Paraguai

    A pretensa deposição do presidente Lugo é mais um episódio revelador da extrema fragilidade institucional dos nossos países, sempre sujeitos a golpes de toda natureza. Golpes estes que, invariavelmente, acabam prejudicando o povo e postergando, para calendas gregas, a politização e a participação das massas populares nas decisões políticas.

  • Derramamento de petróleo: Pernambuco está preparado?

    altPara as comunidades residentes e nativas, um derramamento de óleo iria atingi-las diretamente, com reflexos na economia regional e efeitos talvez catastróficos, como na relevante atividade turística da região, a 10 km de Porto de Galinhas.

  • Os interesses convergentes que derrubaram Lugo

    altA União dos Sindicatos da Produção é dirigida por Héctor Cristaldo, empresário ligado ao grupo dos Zuccolillo. Este é sócio da Cargill, transnacional do agronegócio e também dono do diário ABC Color.

  • Um olhar sobre a saúde pública em São Paulo

    altPaulo Spina questiona a situação do controle social do SUS, estabelecido na lei que o gerou (8080/90). Para ele não há como garantir fiscalização sobre as finanças e o atendimento porque as OSS não disponibilizam suas informações.

  • Belo Monte

    altNa Cúpula dos Povos, na Rio + 20, a construção da hidrelétrica de Belo Monte foi transformada num dos crimes ambientais mais graves a ser derrotado pelos guerreiros ambientalistas.

  • Fracasso da Rio+20

    altOs governos querem desenvolvimento entendido como multiplicação do capital. Nada de proteger a biodiversidade. Fingem não se dar conta de que as mudanças climáticas decorrem da degradação da biodiversidade.

  • São Paulo, a cidade proibida

    altAlgumas poucas proibições poderiam ser justificáveis se não escondessem intenções higienistas nas entrelinhas. Outras são completamente estapafúrdias, como veremos a seguir

  • Hospitais Universitários: comunidade luta para não privatizar

    altA empresa de serviços hospitalares é uma exigência do mercado. Empresas, médicos, laboratórios e mais uma série de abutres querem ganhar dinheiro com a saúde das gentes. E sem risco.