Edição 782

  • Pernambuco: o governo da poluição

    Há uma deliberada política de atração de instalações industriais de alto risco. A poluição causa danos reais e mensuráveis à saúde humana. As autoridades precisam levá-los em conta.

  • Dilma tratora as cisternas?

    Dilma, quando entrou, disse que iria acelerar o processo do Programa 1 de Milhão de Cisternas. Sempre ficou a dúvida de qual seria o método para essa aceleração.

  • A USP, a Tropa de Choque da Polícia e a Tropa de Choque da Mídia

    O que de fato aconteceu por estes dias? Para responder a esta pergunta, é preciso primeiro externar, sem complacência, o quão estarrecedor é perceber o teor predominante da informação à qual a população de todo o país tem tido acesso. Quem se dá ao trabalho de ‘navegar’ por aí, e fugir, por pouco que seja, do noticiário do mainstream, vai perceber de fato uma profusão de visões profundamente dissonantes daquela que é bombardeada incessantemente pela mídia corporativa.

  • O que quer Obama?

    Dentro de sua estratégia global, isolar a Argentina do projeto de integração sul-americano é um passo tático da maior importância. Avançar nesse objetivo parece ser o único sentido do convite feito a Cristina Kirchner.

     

  • “Roubado é mais gostoso”: Itaquera e a Copa dos Bons Amigos

    Vale como um salutar exemplo da fantástica máquina da corrupção e da demagogia política. Itaquera se transforma numa grande farsa dos bons amigos da Copa do Mundo.

  • Resquícios de ditadura

    Até que ponto os mecanismos repressivos da ditadura empresarial-militar foram desmontados, ou será que sobreviveram em novas roupagens nos tempos de ditadura de mercado?

  • A cidadania desencarnada e o fascismo de mercado

    O poder do dinheiro é o único “valor” de livre curso entre os mantenedores da ordem. Basta ver a fieira interminável de escândalos que começam em obras superfaturadas e terminam nos tesoureiros de campanha.

  • Sinal de alerta

    A ignorância é grave. Porém, ainda mais grave é a indisposição de tantos jovens contra os universitários presos. Em algumas mensagens, podem se identificar até laivos de fascismo. Chega-se ao ponto de justificar detenção que atenta contra os direitos humanos, pois os detidos foram trancados em um ônibus, sem alimentação, sem facilidades sanitárias e expostos a um calor insuportável. 

  • A Esperança que move Casaldáliga

    Enquanto achamos esses tempos difíceis e cruéis, ele os acha “raríssimos e belos”. Ainda mais: “mantenhamos a esperança. Pode falhar tudo, menos a esperança”. 

  • A grilagem recorde mundial

    A maior propriedade rural do mundo deixou de existir legalmente na semana passada. O juiz Hugo Gama Filho, da 9ª vara da justiça federal de Belém, mandou cancelar o registro imobiliário da Fazenda Curuá, que consta dos assentamentos do cartório de Altamira, no Pará.

  • G-20 não dispõe de poder político para impor controle global da circulação financeira

    Na última Reunião do G-20, se perdeu oportunidade de analisar com maior profundidade uma sugestão singela, mas muito relevante: a criação de um tributo sobre transações financeiras globais.

  • Tecnocracia

    Assim vem se comportando a velha esquerda, particularmente os trotskistas. Não lhe importa o acúmulo conquistado por alguém nas suas andanças, embates, leituras e polêmicas. O que importa é o nível de qualificação acadêmica. 

  • Beba, mate e fique livre

    Nunca tive notícia de acidentes de trânsito, agressão doméstica ou internação psiquiátrica causados pelo vício de fumar. Todos nós, porém, conhecemos casos relacionados ao alcoolismo. 

     

     

  • Palestinos podem processar Israel no Tribunal Penal Internacional

    A entrada da Palestina na UNESCO é o primeiro passo para habilitá-la a chamar Israel à justiça. Para isso, terá, previamente, de aderir ao Estatuto de Roma, que criou o tribunal.

  • Entre o inesperado e o inusitado

    Da mesma forma que os socialistas e comunistas das revoluções russa, chinesa e outras ficaram confusos, dividindo-se entre os que acreditaram poder construir o socialismo sem passar pelas dores do desenvolvimento capitalista e os que achavam necessária uma aliança de longo prazo com a burguesia nacional para o desenvolvimento das forças produtivas, muitos socialistas brasileiros também estão confusos sobre essas possibilidades.

  • Pela volta da Idade Média à USP

    Por razões óbvias não registro o nome da autora da carta. Com minha total solidariedade ao movimento, faço uma derradeira reflexão. Se, na Idade Média, um senhor reitor atirasse pela janela do seu palácio a valiosa autonomia conquistada pela cidade, chamando a polícia para atuar livremente no campus, certamente seria destituído por seus pares.