Edição 778

  • Síria: uma chance para corrigir os erros

    Aqui reside a diferença fundamental entre Líbia e Síria, para a qual devem estar atentos os que viram na agressão imperialista da OTAN a única alternativa para a queda de Kadafi: na Síria a oposição é composta por um amplo leque de partidos, mas também setores claramente nacionalistas e democráticos.

     

  • Globo organiza o partido da despolitização da política

    O que move a TV Globo é a conquista de corações e mentes de uma parte fundamental do eleitorado progressista, mas não filiado ou permanentemente ligado às lutas dos movimentos sociais ou dos partidos de esquerda, que não se venderam, nem se renderam, para uma ação organizada de desorganização exatamente dessas correntes de ação e pensamento progressista.

  • Conselhos estaduais de educação

    A lei vigente por aqui é datada de 1971! Portanto, editada em pleno regime militar autoritário e, conseqüentemente, antes da promulgação da Constituição de 1988, da própria Constituição paulista de 1989 e da atual LDB de 1996! No Conselho paulista não há representação paritária, mas tão somente indicação de profissionais “notáveis” ligados ao ensino público e privado, com nomeação pelo governador e recondução ilimitada.

  • Americanos ou estadunidenses?

    É um adjetivo mais longo e menos eufônico, poderão objetar alguns, mas é o adjetivo correto. Quem reduziria a “Europa” à França, por exemplo, e chamaria os franceses simplesmente de “europeus”? 

  • O setembro de 2011: o mais violento da história de Goiânia

    Adriana Ribeiro, da Delegacia de Homicídios, reconhece que a nossa sociedade não tem estrutura apropriada para enfrentar a questão e afirma: “Tem de tirar os jovens das drogas, o que se dá através de políticas públicas”.

     

  • A ALBA e seus chanceleres na Síria, desta vez no caminho errado

    Apoiar a ditadura Assad é incompatível com uma esquerda emancipatória e refere-se às velhas teses da guerra fria, sem preocupação com o que pode ser opressivo ao povo se sua posição é, em teoria, “antiimperialista”.


     

  • Medidores humanos

    Medidores antigos e atuais, úteis ou inúteis, que com maior ou menor precisão nos mostram em que medida o homem é de fato a medida de todas as coisas...

     

  • Belo Monte e as cobras

    Toda a questão do enriquecimento inexplicado de Antonio Palocci é pequena se comparada às denúncias envolvendo seu irmão Adhemar Palocci, sempre diretor da Eletronorte.

  • Os Sinais da Crise Externa se Aprofundam

    O capitalismo, sob a égide do capital financeiro, está ele próprio criando rupturas sistêmicas, insuperáveis pela lógica estrita do capital e do dinheiro ou ainda pela ética do utilitarismo social. Coragem para pensar o futuro, com compromisso de reconstruir o País sob nova cultura do desenvolvimento ou adaptar-se ao constrangimento permanente da dependência externa.

  • Enfrentando a impotência, ainda que tarde

    É bom que a CUT desperte, mesmo timidamente. Mas melhor seria que, juntamente com o PT e o MST, atentasse para o que ocorre no mundo e se tornasse vanguarda dos instrumentos sociais de pressão, num contraponto ao crescente poder do grande capital.  

  • A questão do produto nacional bruto

    Todos os países que se industrializaram em épocas recentes, contando com fortes investimentos estrangeiros, como os NIC (Novos Países Industrializados) e a China, enfrentaram, ou continuam enfrentando, a questão da diferença entre seu produto interno bruto (PIB) e seu produto nacional bruto (PNB). Nessas condições, o Brasil se confronta com uma contradição que parece ainda não merecer a atenção de seus planejadores.

  • Do fundo do poço

    Devemos, pois, nos perguntar se o debate a respeito da liberação das drogas não carece de ênfase nas causas da dependência química e de como tratá-las. 


  • Viva o povo ianque!

    A luta anticapitalista, para ter êxito, é necessário que se processe nos países centrais, localizados na Europa Ocidental, Japão, Estados Unidos e Canadá.

  • A injustiça social em Recife: a atuação da polícia

    O assassinato de Andre Batista, 18 anos, surpreende bastante no que concerne à legislação atual, ou seja, uma portaria datada de dezembro de 2010, que proíbe o ato de atirar em caso de blitz. 

  • Noite adentro, corpo afora

    Enquanto procurava o isqueiro, pensava sobre a condenação insana em que a sociedade supõe e aponta seus marginais, perseguindo tudo que for das minorias, do estranho, do incomum, numa matança animal do valor humano.