Edição 764

  • O futuro do Brasil

     Vivemos hoje o ocaso da esperança de mudanças que uma geração de políticos e lutadores populares alimentou por anos, mas que não foi capaz, na hora decisiva, de ser fiel aos desafios que se colocaram para uma ruptura que era esperada. 

  • Belo Monte, Madeira e Tapajós: onde erramos?

     Há uma frustração ao se comparar a intensidade do frenesi da indignação dos dois momentosos problemas ambientais da América do Sul.

  • Sigilo eterno

     ― Pena que o mundo acabou, a história findou e toda essa gente virou pó. Como teria sido importante o povo brasileiro ter direito à transparência histórica!

  • Tamanho disparate

     Aceitar o socialismo com fatalismo é disparate que trouxe prejuízos irreparáveis à humanidade. Nessa trilha, contribuiremos para que o capitalismo, não podendo se eternizar, destrua a vida. 

  • Trabalho decente: o melhor caminho para a redução da criminalidade

    A notícia de que o governo federal convocou a Conferência do Trabalho Decente, por orientação da OIT, nos alegra pela iniciativa, uma conquista histórica da luta do sindicalismo pela democracia.

  • Grécia e Brasil: povos x dívida

     Tanto no Brasil como na Grécia, faz-se necessária uma ampla e profunda auditoria sobre esta questionável dívida, para se verificar de onde ela veio e a quem beneficia. 

  • ‘Nenhuma conquista se acrescentou ao rol dos direitos dos trabalhadores com o PT no poder’

     

    Histórico lutador popular, Ronald Barata observou de lugar privilegiado a evolução política do país e a trajetória das lutas sociais. Desiludido com o PDT, mas ainda empunhando as bandeiras que o nortearam, concedeu longa e reflexiva entrevista.

     

  • Não é a Grécia. É o capitalismo, estúpido!

     Os problemas da crise são de origem estrutural. Expressam o tipo de resultados previsíveis quando a especulação e o parasitismo rentista assumem o comando do processo de acumulação

  • Investimentos estrangeiros e desenvolvimento

     Chegou o momento de o governo brasileiro estabelecer parâmetros mais definidos para a entrada de capitais estrangeiros no Brasil, estimulando-os para áreas estratégicas do desenvolvimento científico e tecnológico

  • O mundo em marcha

     Há marchas que são marcha a ré. Outras são evolução. Cada marcha tem seu destino, sua convicção. Diga-me a sua marcha, e lhe direi... se vou.