Edição 763

  • BNDES patrocina “Socialismo dos Ricos” na fusão Pão de Açúcar-Carrefour

     Os recursos que faltam para as políticas públicas, em virtude de um criminoso superávit fiscal, são acrescidos agora pelos constantes "empréstimos" que o Tesouro vem fazendo ao BNDES

  • A encalacrada do Cabral

     O governador Cabral é um modelo típico-ideal do padrão dominante na atual política brasileira. Para ele, governar é intermediar grandes negócios e agenciar espetáculos. Deslumbrado com o poder e suas benesses, ele trabalha para os poderosos com alegria e método.

  • O drama grego entra em nova etapa

     Austeridade adicional, com reduções de salários, demissões e cortes nas aposentadorias e no social somente aprofundarão a recessão e reduzirão as receitas, tornando a dívida ainda mais impossível de pagar

  • Mudanças: climáticas e democráticas

    Está na hora de sentir a convocação para entrarmos em campo, para oxigenar a democracia e superar a esclerose dos seus instrumentos tradicionais.

  • Drama ou tragédia?

    No rigoroso inverno político em que nos encontramos, as tarefas da esquerda parecem ser: organização, aprofundamento teórico, formação de militantes. Sem, contudo, abandonar as ruas, conclamando a massa a lutar pelos seus direitos (ainda que saiba não ser ouvida), a fim de ganhar credibilidade perante ela.

  • Gaza: o Freedom 2 vai lembrar o que o mundo esqueceu

     Israel aprovou apenas 7% dos projetos apresentados pela ONU, que incluíam 100 escolas e centros de saúde, para substituir o que a invasão de Israel destruíra. E desses 7% grande parte foi proibida. Com isso, a reconstrução de 50 mil moradias, 800 unidades industriais e 200 escolas e centros de saúde reduzidos a escombros pela aviação israelense passa a ser miragem.

  • Capitalismo e reforma

    Se quisermos examinar as políticas do governo Lula e Dilma, e não fizermos qualquer distinção entre neoliberalismo e liberalismo, estaremos confundindo a burguesia industrial e comercial com a burguesia financeira, e as empresas nacionais médias e grandes com as empresas corporativas transnacionais.

  • Dura realidade

     Peter: “felizmente, a sociedade é bastante alienada. Concentramos esforços em FHC. Ele não decepcionou, mas a verdade é que não temos um encantador de massas como Lula do nosso lado”.

  • A esquerda orgânica e as manifestações de rua

     As esquerdas não podem abdicar da disputa dos parlamentos. O "movimentismo", em si, é alvo vulnerável pela fragmentação das demandas corporativas e setoriais que comporta. O partido político, não. Ainda é o único instrumento capaz de universalizar, de politizar, tais demandas.

  • Economia oficial x economia popular

     Com o que não contavam os compradores, em grande parte, era com as armadilhas colocadas na política anti-crise de 2008. O crediário é “bomba de efeito retardado”.

  • Concentração de terras, uma injustiça que se perpetua no Brasil

    Invasores são aqueles que, possuindo apenas o registro, intitulam-se legítimos proprietários e, ainda por cima, descumprindo a função social, reivindicam em juízo a proteção possessória. 

  • Stella, estrela-mãe

    Minha mãe, Maria Stella Libanio Christo, aos 93 anos saiu do casulo e virou borboleta, no domingo, 19 de junho. Partiu ao encontro do Amado, pois nela transparecia, a quem a conheceu, profunda intimidade amorosa com Deus.

  • Financiamento de partidos políticos

    Na verdade, enquanto não for aprovada a lei que estabelece o financiamento exclusivamente público de campanha, as eleições jamais serão democráticas; some-se a igualdade do horário gratuito de televisão, independentemente do tamanho das bancadas dos partidos. São as condições indispensáveis à plena democratização do país. Aparentemente, estamos longe dessa consciência.