Edição 708

  • Israel, Irã e a Mídia: a radicalização do jornalismo apátrida

    A desfaçatez dos jornalões não encontra limites, sendo, sem meio termo, acompanhada de ostensiva má-fé. A manchete do Estadão conseguiu omitir a participação brasileira na negociação nuclear. Um feito histórico, talvez sem igual em jornal nenhum do mundo. Para expor ao povo a incompetência do presidente e de nossa política externa, vale até deixar de ser brasileiro. Essa aguçada crise, de identidade, pertencimento, origem, de nossa imprensa soma-se agora à já mais que conhecida inexistência de uma mídia comprometida com a função social da profissão. De resto, seus editoriais parecem escritos por Hillary Clinton.

  • Desigualdade abissal e a falsa classe média

    dinheirohomemmoeda.jpgMuito antes de festejarmos a criação de uma nova classe média ou a ascensão social de milhões, o que devemos admitir é que temos reduzido apenas o número de miseráveis. Confundir esse processo com o fortalecimento da classe média é grosseira simplificação.

  • “Nunca, jamais, em tempo algum”

    urna_eletronica2.jpgPrepara-se para o continuísmo com as candidaturas de Dilma e Serra, para não se falar da candidatura de Marina Silva, que dança ao som da mesma música.

  • Europa alerta para profundidade da crise do capital e vulnerabilidade do Brasil

    mundo_preju.jpgA situação na Europa alerta: apesar da relativa calmaria de 2009, não se fechou a crise aberta em 07-08. Pois nunca se tratou de uma crise das bolsas ou dos bancos simplesmente, mas do "modo de funcionamento".

  • O caso de Roberto Martino, preso político por lutar contra o sionismo

    bandeira_argentina.jpgNo ano passado, militantes argentinos fizeram um ato contra a comemoração em Buenos Aires pelos 61 anos do Estado de Israel, com cinco prisões. Dois dias depois, outros dez foram detidos e a maioria permaneceu cerca de dois meses presa.

  • Irã: quem atira a primeira pedra?

    mundo_guerra.pngO Irã não está preparado para se integrar ao seio das nações civilizadas... que financiam os cartéis das drogas, tratam imigrantes como escória, fazem do consumismo o ideal de vida.

  • Ho Chi Min (1)

    ft_ho_chi_min.jpgAo terminar os estudos, decidiu viajar aos países ocidentais para conhecer seus povos e tirar ensinamentos que pudessem ajudar seus compatriotas a libertar-se do jugo colonial.

  • Fator Perversiário

    aposentadoria_pedagio.jpgVamos dar de bandeja que todas as fontes da previdência se restrinjam à sua finalidade. Mesmo assim, é preciso buscar outro mecanismo para evitar tamanha injustiça com quem se aposenta.

  • Iara Lee: ‘por que vou para Gaza’

    ft_iara_lee.jpgO Correio da Cidadania publica em primeira mão carta aberta da cineasta e ativista Iara Lee, única brasileira a integrar a flotilha de ajuda humanitária à Faixa de Gaza, que sofreu um ataque do exército israelense no início desta segunda-feira e vitimou onze voluntários turcos.