Edição 695

  • Vamos manter viva a universidade dos trabalhadores!

    semterrabandeira.gifA Escola Nacional Florestan Fernandes não é "escola do MST", mas um patrimônio de todos os trabalhadores comprometidos com um projeto de transformação social.

  • Classe média num país injusto

    brasil_igualdade.jpgEmbora a distribuição de renda no Brasil continue escandalosamente desigual, constata-se que o brasileiro, como diria La Fontaine, começa a ser mais formiga que cigarra.

  • Para onde vai a Argélia?

    bandeira_argelia.jpgMiguel Urbano Rodrigues conheceu Argel em 1953 quando era a capital de uma colônia mascarada de parcela da França. Neste artigo, após uma breve visita, escreve sobre a Argélia do início do século XXI.

  • Mídia falseia discussão sobre ‘Estatismo’ do governo Lula

    A discussão acerca das falhas e virtudes do Estado e do Mercado, tema caro aos ideólogos tanto da estatização quanto da privatização, tomou de assalto os jornais de grande circulação nas últimas semanas. Não é muito difícil de imaginar a celeuma que vem sendo armada em torno de uma suposta retomada do papel do Estado na economia, a partir de novos discursos e propostas do governo Lula, em uma espécie de novo ‘round’ do ‘nacional-desenvolvimentismo’. Estamos nós leitores diante de uma realidade em que aos privatistas da era FHC agora se contrapõem e atuam de modo sistemático os petistas e lulistas, imbuídos de uma nova visão sobre o desenvolvimento?

  • Apontamentos sobre Blade Runner (2)

    filme_bladerunner.jpgNesse mundo de consumo irrefreável e esfacelamento das identidades pessoais, o progresso, no sentido moderno de aperfeiçoamento e melhoramento das coisas em nome do conforto social humano, perde todo sentido.

  • Tentemos ver Cuba sem fanatismos

    homem_corda_dinheir.jpgA segunda lição é que a pior contribuição que podemos dar à causa democrática e socialista em nosso país e nos demais é continuar silenciando diante dos excessos.

  • Os fuzis da senhora Clinton

    ft_hillaryclinton.jpgSeus gestos associam propostas bilaterais de assistência econômico-social com ameaças desiguais e combinadas contra governos que auspiciam escapar à área de hegemonia norte-americana.

  • Do “maduro” ao podre

    ft_josedirceu.jpgAgora, o José Dirceu trafica ricos negócios, tanto no Brasil como no estrangeiro, afinal, tal como a burguesia, ele não é nacionalista, ele visa apenas a fortuna.

  • O reforço do conservadorismo nos EUA

    eua estatua arma.gifObserva-se que, a despeito de o presente governo democrata situar-se longe de uma administração bem renovadora, o segmento reacionário insurge-se previamente, de modo que se bloqueie toda iniciativa de transformação.

  • Instituto Millenium: A Conferência de Comunicação particular da direita

    forum_social_mundial.jpgFórum Democracia e Liberdade de Expressão exibe preocupação da mídia com avanços democráticos. Ataques a governos de centro-esquerda e aos movimentos sociais dão o tom.

  • Lula e o Estado Novo de Vargas

    lulaperfil.jpgCombinando hegemonia e dominação, Vargas excluiu os direitos políticos. A conciliação de classes do seu período foi imposta pelo aparato repressivo e coercitivo do Estado.

  • Milenarismo de mercado

    televisao_baba.jpgO fim da presença física da ditadura, infelizmente, não se fez acompanhar da construção de mecanismos de controle democrático sobre a mídia eletrônica.

  • O suicídio de um “dissidente” cubano

    bandeira_cuba.jpgO suposto "prisioneiro de consciência" não era nada disso, razão pela qual nunca figurou na lista de "presos políticos" elaborada pela Comissão de Direitos Humanos da ONU em 2003.

  • Cuba, a mídia ocidental e o suicídio de Zapata Tamayo

    ft_zapatatamayo.jpgPara a imprensa ocidental, Washington e a União Européia importa muito pouco sua morte, como pouco importam os mortos hondurenhos e colombianos cotidianos.

  • Parceria entre CNJ e CNA: completa ilegalidade

    ilus_justica_balanca.jpgO compromisso assinado entre os dois é clara opção de classe, contrária ao PNDH, visando apoderar forças políticas contrárias à sua implementação. Portanto, manifestamente inconstitucional.

  • Valores na economia pós-crise

    mundo_preju.jpgUma ética para o mundo pós-crise tem como fundamento o bem comum acima dos individuais; o direito de o Estado regular a economia e assegurar a toda a população os serviços básicos.

  • Terremoto no Chile expõe a perversidade da lógica do capital

    bandeira_chilena.jpgO quadro final é que o país se denuncia nas entrelinhas refém hecho y derechode empresas privadas que, mesmo em estado de catástrofe, permanecem firmes com seus discursos marketeiros, sempre defendendo o valor da marca de sua empresa.