Edição 668

  • Belo Monte, Lula e o Monstro

    rioxingu.jpgA apropriação dos minérios e dos rios da Amazônia é um projeto antigo do capital internacional. Neste contexto, o PAC, com Belo Monte no topo das suas grandes obras, é uma reedição da ALCA, mas de maneira indireta.

  • Nepotismo no serviço público é improbidade administrativa

    xilocidaderostos.gifNão se pode confundir a contratação de pessoas para cargos de confiança ou em comissão com a nomeação de parentes.

  • Iraque: democratas ao estilo republicano

    bandeira_iraque.jpgNão se compreende a insistência dos democratas em um modelo administrativo de onde se extrai tão pouco para amenizar o sofrimento iraquiano e reforçar o seu cacife eleitoral.

  • Manchetes de jornais e beques de futebol

    Se as diversas partes de um jornal correspondessem às posições do futebol antigo, as manchetes jogariam na bequeira. Naquele tempo, a função do beque era simplesmente "limpar a área": mandar a bola para fora do espaço perigoso com um chutão. As manchetes dos jornais (escritos, falados, televisados, internéticos) cumprem a mesma função à burguesia. Entrou algo perigoso para o interesse dela na "área" política ou administrativa, uma manchete escandalosa a afasta com um "chutão". Agora, o perigo a ser afastado é a entrada dos índices de produtividade das fazendas na pauta administrativa.

  • Pacote habitacional veio para ‘desovar’ imóveis encalhados, diz empresário

    predios_vendidos.jpgEm debate organizado com apoio da Revista Retratos do Brasil, o diretor do Secovi Celso Petrucci afirmou que as maiores empresas aproveitaram o pacote para "desovar" seu estoque de terras e imóveis.

  • Portentosa ruína

    expresso2010.jpgO Partido dos Trabalhadores sentou na janelinha da governabilidade conservadora e, como um novo PMDB, se converteu em poderosa máquina eleitoral.

  • Liberdade de imprensa e publicidade enganosa

    foto_serra.jpg"Um dia depois de ter despejado de forma violenta 800 famílias em Capão Redondo, o governo de São Paulo tem a cara de pau de publicar um anúncio de uma página nos jornais divulgando a sua "política de habitação popular".

  • Um assassinato político

    mstbandeira.jpgBeira a má-fé afirmar que o "MST ganhou seu mártir" diante das ações conscientes de um governo que criou e treinou um aparelho repressivo contra manifestações populares.

  • Sobre Mártires

    semterrabandeira.gifA morte do trabalhador rural Elton Brum tem por trás de si todos os ingredientes que só a autorizam ser vista como surpresa pelos desavisados ou mal intencionados.

  • Anistia – 30 anos

    maobelindia.gifA anistia, embora seja uma vitória parcial, não foi "ampla, geral e irrestrita", como queriam as vítimas da ditadura.

  • Os cenários de Marina e as alternativas para a esquerda

    ft_marina_silva.jpgVende mais uma ilusão Marina Silva quando diz que basta dar um viés ambiental e moralizar as relações institucionais e políticas "que o Brasil deslancha...".

  • Consulta a Madame Natasha

    boladecristal.jpgIsto é muito novo e triste para mim. Existe uma especialização na tarefa de enganar o próximo. Deve-se considerar mais eficiente o que engana melhor?

  • O Cristianismo: uma religião? Ou a saída da religião

    maos_em_oracao.jpgO Cristianismo não é uma religião. Ou, se for, é uma religião da saída da religião. É um caminho de fé que opera pelo amor, um estilo de viver, nas pegadas de Jesus de Nazaré.

  • Privatização de aeroportos levará ao desmantelamento da malha aérea

    aeroporto_vendese.jpgMatéria do Correio veiculada em 15 de setembro de 2008 chamava a atenção para que o Teatro da privatização terá aeroportos como próximo ato. Dito e feito. A bola da vez é o setor dos aeroportos.

  • Um convite ao PCB, PSOL e PSTU: uma jogada ousada

    urna_mao_bandeira.jpgEsperava, nesta edição, iniciar um depoimento sobre a luta armada dos anos 1960-1970. Porém, apareceu um convite interessante ao PCB, PSOL e PSTU, para examinarem “uma aliança eleitoral, em torno da senadora Marina Silva”.

  • Em Copenhague decidiremos que futuro queremos

    no_consumismo.jpgNosso delírio consumista já consome cerca de 1,4 planeta a mais do que temos. E ninguém está disposto a reduzir o consumo. Cedo ou tarde, enfrentaremos as conseqüências dessa hipocrisia.

  • Um Dia para Celebrar o Tráfico

    africanos.jpgA escravidão constitui a espinha dorsal e o elemento unificador da nacionalidade brasileira, determinando o passado e influindo poderosamente no nosso presente.