Edição 624

  • Submetido pelo agronegócio, Incra favorece o desmatamento

    desmatamento.jpg A divulgação da lista de maiores desmatadores da Amazônia causou grande polêmica por apontar assentamentos de reforma agrária do INCRA entre os maiores devastadores. Sobre este assunto o Correio da Cidadania conversou com o geográfo da USP Ariovaldo Umbelino.

  • Mato Grosso, Mato Ralo

    brasil_desmatamento.jpgUm dos principais inimigos da preservação no Mato Grosso é o fato de que toda a política relacionada à produção agropecuária, vai no sentido oposto, incentivando o crescimento desenfreado da produção.

  • Projeto de reforma tributária mina as bases da Seguridade Social

    numeros.jpgA PEC 233 desobriga instituições como Bolsas de Valores e fundos de pensão de financiar a Seguridade Social e cobra dos trabalhadores o preço desse favor.

  • Apoteose do ‘lulismo’ reforçou consenso conservador nas últimas eleições

    apoteose_lula2.jpgTodo processo eleitoral, mesmo quando corre no leito estreito de uma democracia formal e amplamente submetida ao tacão do poder econômico, é cenário de múltiplas revelações.

  • Mudar o Modelo Econômico

    dinheirohomensapoiados.jpgAvizinha-se uma conjuntura que imporá o desemprego, o comprometimento do crescimento e a ampliação da miséria, caso continuemos sob o comando de financistas.

     

  • O mico tributário

    brcarroca.jpgAprovada a reforma, vão para o espaço a transparência tributária e a lealdade, que deve presidir os atos do poder público.

  • Por que os governos estão amarrando a mão invisível?

    dinheirocortahomem.gifPor que aqueles que pregam a liberdade de comércio e o livre trânsito de capitais, e não admitem qualquer controle social, agora são os que defendem a socialização dos prejuízos?

  • O “Fator Previdenciário”, a idade mínima e os outros fatores

    aposentadoria_pedagio.jpg Já defendi a tese da aposentadoria por tempo de serviço. Pesquisando, concluí que esse instituto precisaria ser alterado se optássemos por universalizar o seguro social no Brasil.

  • É possível desejar ‘Feliz’ dia de Professor?

    professora.jpgO cálculo mercantil reduziu tudo, e a própria esfera do produzir conhecimento, a mais uma variável econômica. Não há discussão, crítica e reflexão alguma.

  • Trochenbrod, uma cidade exterminada pelos nazistas

    trochenbrod.jpgA pequena, porém vívida, cidade que gerou sionistas, comunistas e estudiosos tornou-se uma clareira a céu aberto, uma área completamente erradicada do mundo.

  • Crise dos EUA já atingiu o Brasil

    bolsas_caindo.jpgA bolsa de valores caiu violentamente, o real se desvalorizou, a taxa de câmbio subiu e as empresas que têm empréstimos no exterior estão com dificuldades de renová-los.

  • A revista que virou panfleto

    tio_sam.jpgSeria mais honesto e correto copiar o que de bom existe nos Estados Unidos e explicitar, no editorial, que Veja apóia os candidatos da oposição – PSBD e DEM.

  • Capitalismo ou o caos

    explosao.jpgDiante da ausência de um movimento anticapitalista, que se apresente como alternativa, estamos frente a um novo dilema: o capitalismo ou o caos.

  • Demora na regularização das concessões de rádio e TV é deliberada pelo ‘jogo político’

    tvs_e_radios.jpgEm um país no qual as concessões de rádio ou televisão são autorizadas sob diretrizes determinadas constitucionalmente, o debate em torno do tema deveria ser algo natural.

  • O projeto e a necessidade

    Se o tamanho da crise dependesse de torcida, a esquerda deveria torcer para que não estourasse tão cedo, pois, se isto acontecer, ela se encontrará novamente despreparada para oferecer um projeto alternativo concreto às massas populares. Foi isto o que aconteceu nas duas únicas vezes em que, após a revolução de 1930, o sistema de dominação foi abalado pela rebeldia popular.

  • D. Cappio volta ao jejum

    prato_vazio.jpgCom ele um incontável número de pessoas ao redor do mundo, articuladas na Via Campesina, numa jornada de jejum contra a fome, a partir do dia 16.

  • A crise e suas soluções

    dinheirohomemmoeda.jpgO problema conjuntural consiste em saber até que ponto os países emergentes poderão evitar que seus pobres sofram com a desaceleração da economia mundial