Edição 553

  • Lula e a Operação Xeque Mate: primeiras impressões

    folhadinheiro.jpgHá quem veja "ameaças" do presidente Lula quando ele diz que a PF vai fazer o seu trabalho sem se importar com o nome e sobrenome dos investigados. Bobagem: como afirma o próprio Lula, quem anda na linha não tem o que temer.
  • Índio brabo

    indio.jpgOs kayapó recém-contatados estão servindo, dentre outros, para relembrar como não depender da Funai ou da “ajuda” de madeireiros e mineradoras ou de concessões de garimpos ilegais.
  • Para os povos indígenas, “PAC” significa ameaça

    Lula e índios
    José Gomes Temporão, ministro da Saúde, o presidente Lula e Márcio Meira, presidente da FUNAI,
    recebem integrantes da Comissão Nacional de Política Indigenista (Foto: Ricardo Stuckert/Abr)
  • Urge revolucionar 'nossas' estruturas de poder

    maopasseata.jpgMuito bom será se nossa juventude compreender que é preciso dar passos significativos para que se processem profundas reformas estruturais, contemplando o controle popular.
  • Direito e meio ambiente

    quebracabeca.jpgA Constituição Federal estabelece que todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado. Este é considerado bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida.
  • Por trás da navalha

    CorrupçãoOu o governo descobre logo quem está por trás da navalha, e toma as medidas pertinentes, ou corre o risco de se enredar em alguma trapalhada séria.
  • Uma teoria do lixo

    Gabriel PerisséDiga-me de que é feito seu lixo e lhe direi quem você é. Ou quem você não quer mais ser. Partes importantes de sua alma você transformou em lixo.

  • O PSOL pede passagem

    PSOLOs socialistas libertários apostam na grande política, que discute projetos e mobiliza o cidadão. Querem acertar o passo com a dinâmica que, na América Latina, tem feito avançar a mobilização popular.
  • Rebelião universitária: a forma e o fundo

    Atenção! A Reitoria da USP (e agora de mais três universidades) não está ocupada por bandinhos de baderneiros. O juízo que se possa fazer a propósito da propriedade ou impropriedade do meio empregado para extravasar o protesto não deve obstar, nas mentes realmente preocupadas com o país, a interpretação correta do despertar de consciência desta nova geração de estudantes após anos de gerações preocupadas em usar seu período acadêmico unicamente para fazer curricullum para servir o capital.
  • Divisões muito perigosas

    BrasilO grande aporte de Divisões perigosas: políticas raciais no Brasil contemporâneo é apresentar visões que se opõem, desde um ponto de vista democrático-republicano, nacional e universalista, a propostas de “racialização” do Brasil. Mário Maestri.
  • Colaboração legitimadora

    BrasilA Unafisco tem sido, na sociedade civil organizada, entidade de vanguarda na defesa de um sistema tributário racional, buscando alcançar um patamar mais elevado de justiça fiscal.
  • Dimensão holística da ética

    ÉticaA ótica neoliberal diz que cada um deve se contentar com o seu mundinho. Mas fica a pergunta de Walter Benjamin: o que dizer a milhões de vítimas de nosso egoísmo?
  • O circo e a Fórmula 1

    ChegadaEm uma palavra, o circo da Fórmula 1 está associado a um mundo que esvaziou o sentido de ser do circo tradicional.
  • Aparecida: texto e contexto

    AparecidaO texto produzido em Aparecida deixa transparecer valores muito importantes, que servem de sinalizadores para o sentido mais amplo daquilo que a Conferência intuiu como oportuno para o momento que estamos vivendo. D Demétrio Valentini.
  • Colômbia: proposta indecente ou real saída da crise?

    ColômbiaO propósito da indecente proposta de Uribe é de interferir no curso das investigações, distorcer verdades e corrigir aquilo que possa conduzir a uma proximidade maior da justiça, contra o presidente. Pietro Alarcón.
  • Chávez, o Senado e a mídia

    chavezcolorido.jpgA direita está preocupada com a irradiação da experiência venezuelana e com o futuro da mídia. Teme a aplicação da Constituição no que se refere à reavaliação periódica das concessões para rádio e TV. Altamiro Borges. 
  • A liberdade de expressão como desculpa

    midia.gifO contraste entre os acontecimentos de 1994 no Uruguai e as atividades atuais da direita a respeito da RCTV demonstram que a tão proclamada liberdade de expressão é desculpa para atacar governos críticos do modelo neoliberal. Raúl Zibechi.