Kassab, Serra, Alckmin, Covas, FHC, Lula...

0
0
0
s2sdefault

 

Kassab, prefeito Municipal de São Paulo, cria mega projetos, como aquele de um túnel de 4.800 metros visando construir sobre o túnel uma enorme praça numa área em que moram há anos milhares de famílias de baixa renda. O túnel é para os carros fabricados pelas montadoras que consomem o petróleo distribuído inclusive pelas "oito irmãs" petroleiras internacionais. Os seres humanos que lá estão precisam ser desalojados e enxotados para valorizar a especulação imobiliária. Enquanto isso, Kassab se propõe a retirar parte da merenda escolar em prejuízo da alimentação das nossas crianças, que são o futuro da nação; cortou recursos do lixo deixando a cidade em pandarecos, sofrendo a invasão de ratos, baratas, mais enchentes e outros problemas mais. Assim como congelou verbas dos setores sociais. A saúde e a educação públicas municipais que o digam.

 

Serra, assim como FHC, Covas e Alckmin, vai privatizando tudo o que é do povo, engordando as burras das grandes empresas ávidas de lucros e mais lucros. Nos doze anos de governo Covas - Alckmin foram privatizadas as mais importantes empresas estaduais (Cesp, Telefônica, Banespa, Cosipa, Estradas...), a troco de bananas podres. Foram praticamente doadas para empresas que passaram a cobrar tarifas elevadas, sugando o povo vorazmente. Entre outras medidas, Serra deu um passo a mais ao determinar que hospitais públicos estaduais possam usar em até 25% das vagas reservadas aos seus usuários para atender aos pacientes dos convênios, os quais passarão os custos para o SUS. Com isso, os Convênios embolsam o dinheiro e o povo paga a conta e fica com o atendimento ainda mais precário. Devagar vai passando o que é público para o privado. O povo que se vire.

 

FHC, como todos devem lembrar, privatizou mais da metade do Brasil. Ou melhor, entregou nossas empresas estratégicas para as empresas privadas nacionais e estrangeiras. O caso da Vale do Rio Doce foi o que apareceu com maior escândalo. Seu valor era, na época, de aproximados R$ 100 bilhões e foi doado por R$ 3 bilhões. FHC foi mais nocivo ainda ao exigir que os estados privatizassem seus bancos estaduais. Para tanto aumentou vertiginosamente os juros devidos ao Banco Central, tornado-os inadimplentes, forçando sua entrega. No caso de são Paulo, o poderoso Banespa foi doado para o espoliador Santander, espanhol.

 

No caso do Lula, há um fato recente muito interessante porque envolve tramas conjuntas entre governos do PSDB e do PT. Serra abriu concorrência para entregar a "Nossa Caixa/Nosso Banco" - de propriedade do estado de S. Paulo - para bancos privados. Lula interveio, fez acerto secreto com Serra e o Banco do Brasil comprou a Nossa Caixa/ Nosso Banco. Passados alguns meses, surge a verdadeira trama: ampliar o processo de privatização do BB (que já incorporou a Nossa Caixa), entregando-o para o capital estrangeiro. Assim, irá privatizando devagarzinho os dois ao mesmo tempo, só que em doses homeopáticas e disfarçadas em "ações".

 

FHC já havia dado início a essa patifaria, mas foi mais prudente porque abriu a aquisição de ações preferenciais aos estrangeiros, limitadas a 12,5% do capital do banco. Lula foi além e autorizou ampliar essa participação em 20 % em ações ordinárias, e isto faz uma diferença gritante: as ações ordinárias são as que têm poder de voto nos destinos do banco, as preferenciais não têm esse poder.

 

Assim, "de grão em grão a galinha enche o papo", como diz o jargão popular. No caso, a galinha são as empresas estrangeiras. E nossa autonomia bancária como ficará? Se o capital financeiro já manda neste país, sem o nosso maior banco a banca internacional deitará e rolará mais ainda, impondo taxas e juros ainda mais elevados. E as rendas paupérrimas do nosso povão, como ficam?

 

Kassab, Serra, Covas - Alckmin, FHC, Lula mostraram que jogam no mesmo time: o time do neoliberalismo. Xôôô gafanhoto!!!!

 

Waldemar Rossi é metalúrgico aposentado e coordenador da Pastoral Operária da Arquidiocese de São Paulo.

 

{moscomment}

Comentários   

0 #4 Elenice 24-09-2009 06:56
O que fazer para impedir?
Realmente as tarifas de serviços essenciais estão impagáveis comparado ao salário miserável que recebemos.
Com tantas privatizações e terras compradas/doadas ao capital estrangeiro eu pergunto? De quem é o Brasil?
Quando viajei a alguns lugares do Nordeste fiquei surpresa o povo pobre não tem acesso a quase nada, mas o capital internacional compra quase tudo, e fazem os coitados de empregados mal remunerados. É o projeto fim aos pobres e a pobreza pelo isolamento?
Citar
0 #3 Poder pelo PoderGiovanny Trindade 21-09-2009 09:58
Nossos governates hoje lutam pelo poder, poder este de negociar o que quizer, mesmo não sendo seu.

Temos como realidade articulações de poder pelo poder, independete da transformação, notamos projetos de assistencia social que poderiam ser mais eficaz, porem não são para gerar uma dependecia.

Eu Sou a solução de todos os males, sendo o maior de nossos males.

PT, PSDB, DEM e PT hoje estão a frente do mesmo barco. Negociando para acabar com a pobreza e os pobres
Citar
0 #2 Privatizações !!Nelson Breanza 20-09-2009 15:25
Estimado Waldemar,

É preciso - e vc o faz muito bem - trazer sempre à tona a questão da pilhagem do patrimônio público realizada pelo processo de privatização e promovido por: Collor, Sarney, FHC e Lula, na verdade doação do patrimônio público aos especuladores nacionais e internacionais. Para quem tem dúvidas sugiro "O Brasil Privatizado" de Aloysio Biondi ... e vem aí Banco do Brasil e Petrobras (pré-sal) ...

Abração meu Camarada !!
Citar
0 #1 Os tucanos petistas grasnam como os tucaRaymundo Araujo Filho 20-09-2009 07:12
Waldemar Rossi, expõe na medida correta a semelhança entre os gogernos que se dizerm diferentes, mas apenas o são, em relação a alguns que ocupam os cargos e capitaneiam as mamatas.

A ideologia é a mesma, com beirolas de diferença, tipo as esmolas e ínfimos empregos miseráveis, para a população, muito aquém do prometido e razoável.

Por muito menos, já me diverti (e me divirto) sendo chamado de "pró Serra", "tucano" e até agente do Grupo Guararapes, vejam só!

E por quem? Exatamente pelos lullo petistas, muitos dos quais agora ensaiam alguma crítica ao governo, mas apenas como tática para tentar, mais uma vez, fazer o impossível, isto é, trazer o Lulla para algo um pouco mais decente na política. Ou então como estrtégia autosalvacionista, como se a Política fosse um Bufet a Kilo, tipo gaúcho, onde o comensal se serve do que quer, sem pagar mais, acima de certo limite consumido.

No máximo, sem uma autocrítica pública dos seus deslavados apoio ao Lullismo, por todo este tempo, irão atrapalhar a verdadeira oposição de esquerda deste país, que entre erros e acertos, ao menos mantém acesa a chama da indignação política.

Dá-lhe Waldemar!

P.S. - Creio que o artigo "Lulla e Stanley Gacec(AFL - CIO) - Ligações Perigosas" (acssável por portal de busca)retrata bem a origem desta inflexão de Lulla na direção do Desmonte das Forças Populares. E apoiado por uns, de forma consciente, e por outros como Inocentes Inúteis.
Citar

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados