Edição 1037 – 14/11/2016 a 20/11/2016

0
0
0
s2sdefault

 

 

 

Guerras extrativistas na bacia do rio Tapajós: “nem o canto dos passarinhos estamos ouvindo”

Por Raphael Sanz, da Redação

 

alt

 

Um verdadeiro conflito acontece na bacia do rio Tapajós ameaçando o meio ambiente e os povos indígenas e ribeirinhos em nome do avanço de projeto hidrelétrico, mineração e agronegócio, pondo em cheque o modelo econômico extrativista que marcou a era dos governos progressistas no país. A construção da barragem Teles Pires, por exemplo, pôs abaixo um lugar histórico para diversos povos da região, além dos inúmeros impactos ambientais e sociais que vem causando.

 


 

POLÍTICA

 

Eles não vão ao Starbucks

Por Henrique Costa

 

A aversão de parte da esquerda contemporânea pela classe trabalhadora permite que neocons como Doria e Trump façam seu discurso demagógico e ainda vençam facilmente uma eleição. No Brasil, a “esquerda Dona Clara” talvez seja mesmo o que sobrou do movimento progressista nos grandes centros urbanos, e não existe nada mais importante para o futuro da humanidade em processo de implosão social do que sua conversão à agenda antissocialista.

 


 

Uma proposta alternativa à PEC 55 (ex-PEC 241)

Por Otaviano Helene

 

Será que, diferentemente do que o governo quer nos convencer, há outras possibilidades para acertar as contas públicas? A resposta é sim. A escolha feita pelo governo federal foi, claramente, política. A proposta a seguir, de uma PEC alternativa, ilustra outra possível solução. Art. 1 – A partir de já, a sonegação, que se apropria de cerca de 10% do PIB, alguma coisa perto dos 500 ou 600 bilhões de reais a cada ano, será reduzida, até desaparecer em um prazo de 20 anos.

 


 

Papa encontra movimentos populares

Por Frei Betto

 

O III Encontro Mundial de Movimentos Populares reuniu mais de 200 representantes de 60 países. “Neste encontro expressamos a mesma sede de justiça e o mesmo clamor: terra, teto e trabalho para todos”, frisou o pontífice.

 


 

Pensando a longo prazo – ainda a singularidade do Brasil

Por Wladimir Pomar

 

A Tolice da Inteligência Brasileira acerta em parte quando diz que a “procura de um modelo para a sociedade brasileira” tem que realizar uma “análise correta dos padrões culturais que se tornaram dominantes”. Mas erra quando afirma que tal análise “teria que se concentrar na escravidão”.

 


 

SOCIAL

 

Uma criminalização que é o verdadeiro crime

Por Frei Marcos Sassatelli

 

O Movimento Primavera Estudantil e o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) são hoje os dois Movimentos Populares mais perseguidos pelo governo federal e os estaduais, capachos.

 


 

O sonho da revolução não acabou

Por Osvaldo Russo

 

A globalização provoca exclusão social não só nos países pobres e em desenvolvimento, mas também nos países desenvolvidos, cujo desemprego estrutural causa uma apartação social sem precedentes na história da humanidade.

 


 

ECONOMIA

 

Repatriação de dinheiro (dos paraísos fiscais) e outras benesses: sugestões de saídas da crise fiscal

Por Guilherme C. Delgado

 

Exploramos neste artigo uma via praticamente interditada ao debate da crise fiscal, que efetivamente faria ajuste fiscal, para ser fiel ao sentido etimológico da palavra. O valor corresponde apenas a alguns trocados, a julgar pela exuberante lista das contas dos chamados Panamá Papers. Nossa vizinha Argentina impõe retenciones atuais (governo Macri) de 30% sobre suas exportações de bens primários, enquanto o Brasil nada tributa, nem renda transfere a outros setores da economia.

 


 

A Petrobras erra ao abandonar os biocombustíveis

Por Felipe Coutinho e Henrique Ortega

 

O Brasil é um dos países com maior potencial de expansão da produção de biocombustíveis e energias renováveis por sua extensão agricultável, pelo potencial aumento da produtividade agrícola, além da elevada incidência solar, potencial eólico e disponibilidade de água. Quando a Petrobras decide abandonar os biocombustíveis ela desiste de desenvolver uma das vocações do Brasil, país continental e tropical.

 


 

INTERNACIONAL

 

Trump esboça virada na política internacional

Por Luiz Eça

 

Ao Wall Street Journal, Trump foi mais longe do que Obama. Defendeu um foco muito mais concentrado na guerra contra o Estado Islâmico do que no investimento nas forças rebeldes e na queda do regime de Damasco. Trump também falou, embora rapidamente, sobre a questão palestina. Depois de qualificá-la como “a guerra que nunca termina”, anunciou que esperava ajudar a elaborar uma solução entre as duas partes. Além disso, a amizade EUA-Rússia é objetivo central.

 


 

A Batalha de Gênova (final): balanço e perspectivas

Por Gregório Maestri

 

O Correio republica uma série análises de Gregório Maestri sobre a violenta repressão da polícia italiana aos protestos antiglobalização em Gênova (Itália), no encontro do G-8 realizado na cidade há 15 anos – entre 19 e 22 de julho de 2001.

 


 

CULTURA E ESPORTE

 

O cardápio dos banquetes republicanos: os mercadores de reformas

Por Roberto Antônio Deitos

 

Com caldo grosso de violência os poderes São apetitosos nas suas comilanças políticas Negociadas como sobremesas servidas.

 


 

Cabo Dias, o revolucionário de 1935

Por Milton Pinheiro

 

Trata-se do cabo Vermelho, um dos comandantes do governo revolucionário de quatro dias, no Rio Grande do Norte, em 1935.

 


 

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados