A Globo continua prestando grandes serviços ao país

0
0
0
s2sdefault

Resultado de imagem para jornal nacional reforma previdencia
Em mais uma patética tentativa de defender as indefensáveis reformas do vampiro Temer, a Globo mostrou os doutos estudos do Banco Mundial - os mesmos caras que acham que professor no Brasil ganha bem e o ensino público deveria acabar - que atestam que os funcionários públicos são todos uma choldra de privilegiados.

Exibiram com alarde os ganhos médios do funcionário público federal, ganhos muito acima da média da iniciativa privada. Vejam bem, ganhos médios! E do funcionalismo público federal! O que não leva em consideração a merreca que a corja tucana paga a professores, policiais e outros membros do serviço público estadual em São Paulo. Ou a corja peemedebista que saqueou o Rio de Janeiro, e deixou à míngua os servidores, sem salário e sem décimo terceiro. A mais pura empulhação estatística midiática!

Certamente, os caras somaram os salários nababescos pagos para alguns membros do judiciário, mais os salários dos aspones de Brasília, somaram tudo e dividiram pelo número total de funcionários, o que deve ter dado um número realmente colossal.

Um grande amigo meu sempre diz que estatística é assim: se você torturar os números, eles confessam o que você quiser.

Nenhuma palavra a respeito da pilhagem do dinheiro público para comprar deputados corruptos que vão continuar sangrando o povo, ou do judiciário vendido, que passa recibo aos desmandos da horda de canalhas do PMDB e dos seus capangas do grão tucanato. Não, a culpa é dos funcionários públicos. São os vilões da vez.

E pra não perder o costume: Fora Temer! E Fora Banco Mundial também! Que é um banco. E como dizia Bertold Brecht: o que é roubar um banco comparado a fundar um?

Leia também:

“As instituições foram assaltadas pelo capital e vemos o fim do precário contrato social brasileiro”

Banco Mundial: ajuste regressivo e antidemocrático

Benedito Carlos Santos é professor de história.

Para ajudar o Correio da Cidadania e a construção da mídia independente, você pode contribuir clicando abaixo.

Relacionados